https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/issue/feed Scientific Journal ANAP 2024-04-17T18:36:57-07:00 Sandra Medina Benini editoraanap@gmail.com Open Journal Systems <p>A <strong><span class="Y2IQFc" lang="en">Scientific Journal ANAP </span> </strong>está direcionado para a divulgação de trabalhos científicos sobre a temática, resultado de pesquisa de natureza empírica, experimental ou conceitual, resultantes de pesquisas.</p> <p>Para submissão, os autores deverão estar ligados no mínimo a uma graduação e deverão publicar com um docente da instituição de ensino.</p> <p>Foco da revista - "<strong>Sociedade, Ambiente e Sustentabilidade"</strong></p> <p> </p> https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4887 A construção de cidades resilientes: planejamento urbano, arcabouço legal e as comunidades no enfrentamento de desastres 2024-04-13T05:42:33-07:00 Didiane Victoria Buzinelli Inaba didiane.inaba@gmail.com Maria Yumi Buzinelli Inaba maria-yumi.inaba@unesp.br <p>As cidades expostas às tragédias climáticas e aos desastres ambientais pressupõem a necessidade de dinamismo para retornar, rapidamente, ao estado normal. Assim, a resiliência urbana não só simboliza a capacidade propulsora de um centro urbano em se recompor frente a um desastre, mas também a atuação dos agentes envolvidos no processo de análise de riscos e de prevenção de acidentes envolvendo comunidades vulneráveis. O objetivo do presente trabalho é tratar como a resiliência urbana é calcada em estratégias efetuadas pelos gestores públicos, as quais possuem como fulcro a proteção dos grupos ocupantes de áreas irregulares. A metodologia empregada é a fenomenológica com a elaboração de um levantamento bibliográfico e sob o viés de uma interpretação qualitativa referente aos dados obtidos em artigos acadêmicos, teses e relatórios elaborados por organizações intergovernamentais. Como resultado, o presente estudo buscou ampliar a esfera de discussão e a relevância sobre a construção de cidades resilientes mais sustentáveis e aptas a evitar novos riscos sociais. Além da análise das implicações teóricas e dos critérios prévios a serem cumpridos, coube avaliar as prerrogativas sociais dadas pela compreensão das comunidades como principal alvo dos desastres ambientais devido à ocupação compulsória das áreas irregulares.</p> 2024-04-13T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4888 A educação ambiental como ação de combate às mudanças climáticas no semiárido brasileiro 2024-04-13T05:48:49-07:00 Márcia Regina Farias da Silva marciaregina@uern.br Renata Duarte de Almeida almeida.renatad@gmail.com Carlos Aldemir Farias da Silva carlosfarias1@gmail.com <p>A importâncias de ações de combate as mudanças climáticas vêm sendo discutida em espaços de governança ambiental global. Entre o dia 6 e 17 de novembro de 2023 foi realizada em Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, a Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP-28), na qual se reuniram representantes de 197 países para debater os desafios e oportunidades relacionados à mudança do clima. Ações de combate aos efeitos negativos do aquecimento global, acelerado pelas ações humanas já podem ser observadas, mesmo que ainda de forma incipientes. Nessa direção, objetivou-se a partir do desenvolvimento do Projeto Plantando o Futuro, realizar atividades de educação ambiental voltadas para arborização, em escola da rede púbica de ensino do estado do Rio Grande do Norte (RN). As atividades foram desenvolvidas em escolas do município de Mossoró, que encontra localizado no semiárido brasileiro, sendo de suma importância a arborização urbana e o reflorestamento do bioma, Caatinga para o enfrentamento às ações do clima. Foram desenvolvidas atividades como: dinâmicas, roda de conversas e palestras com alunos do ensino fundamental, bem como ações de arborização nas escolas e doações de mudas nativas e frutíferas. Verificou-se que práticas de educação ambiental nos âmbitos formal e informa apresentam-se caminhos possíveis para conscientização da necessidade de ações de adaptação e combate às mudanças climáticas.&nbsp;</p> 2024-04-13T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4889 A expansão dos assentamentos precários e a ocorrência de eventos pluviométricos extremos no espaço urbano da cidade de Aracaju/Sergipe 2024-04-13T06:14:19-07:00 Fernanda Alves Góis Meneses fernanda_gois@academico.ufs.br Jailton de Jesus Costa jailton@academico.ufs.br Rozana Rivas de Araújo rozanarivas@academico.ufs.br John Álex de Melo Dantas johnalex@academico.ufs.br Ingrid Carvalho Santos Oliveira ingridcarvalhosantosoliveira@gmail.com <p>Carentes de infraestrutura, moradias precárias e dificuldade no desenvolvimento social, físico e psíquico; as favelas e comunidades urbanas não contam com volume de recursos públicos e com a qualidade de serviços que são aplicados e disponíveis nas áreas mais nobres da cidade. A intensificação da urbanização da cidade de Aracaju, nas últimas duas décadas, acompanhada de uma rede de drenagem insuficiente para o acúmulo de chuvas, tem favorecido a existência de cenários de alagamentos e inundações pela malha urbana, verificando-se que a parcela da população mais vulnerável sofre as consequências desses eventos com maior intensidade. Neste estudo, foi discutida a relação entre a ocupação dos assentamentos precários e a ocorrência de inundações no espaço urbano com foco em Aracaju/SE, esclarecendo as características pluviométricas envolvidas nesses eventos, possibilitando assim compreender os riscos associados à ocupação.&nbsp; Além disso, foram apresentadas as medidas adotadas pelo município de Aracaju para prevenir e evitar a ocorrência de desastres naturais em áreas inapropriadas para habitação. Assim, espera-se contribuir com a promoção da sustentabilidade urbana, de maneira a colaborar para a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, com redução das desigualdades sociais, promovendo o bem de todos; e apresentar resultados que sirvam para criar estratégias de gestão, a fim de evitar e/ou mitigar as ocupações humanas em áreas maiores vulnerabilidades socioambientais.</p> 2024-04-13T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4895 A importância da ventilação natural para melhoramento da qualidade do ar em salas de aula – experiência de um mundo pós-covid-19 2024-04-15T11:18:43-07:00 Wislley Vieira Paiva Wislley.paiva@edu.ufes.br Cristina Engel de Alvarez engelalvarez@hotmail.com <p>A qualidade do ar interior (QAI) é um tema que vem sendo estudado desde a década de 70 do século passado, com o surgimento de edifícios cada vez mais vedados e ganhou principal notoriedade após o surgimento da pandemia da covid-19 no ano de 2020. Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi estabelecer e analisar as principais estratégias adotadas para o enfrentamento da crise no período pós retorno às aulas (2021) e para melhoramento da qualidade do ar interno. Para isso, foi realizada uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL) e foram considerados trabalhos publicados entre os anos de 2021 e 2023. Os principais resultados apontam a ventilação natural cruzada e a redução do contingente de pessoas/m² como estratégias mais eficazes tanto para contenção da crise quanto para melhoramento da qualidade do ar interior.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4896 A importância dos parques urbanos no conforto térmico da população: breve revisão de literatura e estudo de caso para o Parque Areião (Goiânia-GO) 2024-04-15T11:40:25-07:00 Yan Silva Vargas Yansilvavargas@hotmail.com Diego Tarley Ferreira Nascimento diego_nascimento@ufg.br <p>Nas áreas urbanas, os parques surgem como ambientes promotores de melhores condições de conforto térmico, em razão da presença de vegetação e corpos hídricos. Desse modo, a problemática da pesquisa é entender como os parques influenciam o conforto térmico, contemplando uma revisão de literatura sobre a temática e um estudo de caso para o Parque Areião, situado em Goiânia-GO. Para tanto, foram coletados dados de temperatura e umidade relativa do ar em três pontos do Parque Areião em quatro datas, ao longo do inverno e da primavera de 2022 (agosto a novembro). De mesma forma, foram compilados dados registrados pela Estação Meteorológica Convencional de Goiânia (INMET), situada no centro da cidade, e considerado como quatro ponto amostra. Em seguida, foi realizado o cálculo da Temperatura Efetiva e Conforto Térmico. A análise dos dados apontou uma variação de temperatura efetiva entre os pontos de até 5,1 °C, com menores valores no interior do Parque Areião e maiores valores na estação do INMET, variando entre sensação térmica classificada como “Confortável” até “Muito Quente”. Desse modo, constatou-se que o Parque Areião promove um maior arrefecimento da temperatura do ar assim como a manutenção níveis de umidade do ar mais elevados, reforçando seu caráter microclimático.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4897 A Influência das Áreas Verdes no Conforto Térmico 2024-04-15T11:45:50-07:00 Gabriellin Buose gabriellin-buose@hotmail.com <p>O rápido processo de urbanização nos centros urbanos tem desencadeado severos impactos ambientais, acarretando consideráveis prejuízos econômicos e sociais, além de comprometer a qualidade de vida das comunidades. No contexto climatológico, observa-se um aumento da temperatura nos ambientes urbanos em comparação às áreas rurais próximas evidenciando a influência do ambiente construído nas condições climáticas. Essas alterações são, em grande parte, atribuídas às disparidades nas características térmicas dos materiais de construção e da vegetação ou ausência dela. Este artigo tem como objetivo, explorar a influência das áreas verdes no controle térmico das cidades e sua atenuação das temperaturas em áreas densamente povoadas. A abordagem metodológica empregada foi de cunho qualitativo para investigar as áreas verdes. Essa estratégia envolveu a análise da literatura pertinente, compreendendo trabalhos científicos como livros, teses, dissertações, artigos, entre outros, além da revisão da legislação urbanística relacionada ao tema. &nbsp;As descobertas indicam que a arborização, ao proporcionar ambientes termicamente confortáveis, desempenha um papel crucial na mitigação dos impactos climatológicos urbanos, promovendo estabilidade microclimática por meio da redução da temperatura e o controle da insolação direta. Além disso, sua presença contribui substancialmente para a melhoria da condição ambiental das cidades, influenciando positivamente a qualidade de vida urbana, incentivando a mobilidade ativa e otimizando a utilização dos espaços públicos.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4898 A Integração dos Espaços Livres na Complexidade das Cidades Brasileiras 2024-04-15T12:46:06-07:00 Brenda Buose brenda-buose@hotmail.com <p>O artigo explora a relevância dos sistemas de espaços livres nas cidades brasileiras, enfatizando sua contribuição para a configuração da ambiência urbana. Com a expansão geográfica e demográfica das cidades, os desafios associados à urbanização tornam-se mais complexos, destacando a necessidade crucial de compreender as dinâmicas desses espaços para buscar soluções que promovam ambientes urbanos mais habitáveis, sustentáveis e esteticamente enriquecedores. A pesquisa reconhece a diversidade de espaços livres, sejam eles públicos ou privados, como áreas que oferecem alívio para os problemas associados à urbanização. Além disso, ressalta a importância da promoção e preservação adequadas desses espaços, considerando-os essenciais para a melhoria da qualidade de vida urbana. Essa influência não se limita apenas a áreas de lazer, abrangendo também aspectos como saúde, sociabilidade e equilíbrio ambiental. O objetivo central da pesquisa é compreender de maneira integrada os sistemas de espaços livres nas cidades brasileiras, reconhecendo seu impacto na formação da ambiência urbana. O estudo adota o procedimento metodológico da pesquisa bibliográfica, fundamentado na revisão de trabalhos e livros. Os resultados indicam que espaços livres bem planejados exercem influência positiva na permanência dos usuários, resultando no aumento da segurança e na redução dos índices de criminalidade no ambiente urbano.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4899 A Interseção entre Arquitetura e Bem-Estar: Investigação Bioclimática na Faculdade de Odontologia da UFRGS, ano 1960 2024-04-15T12:51:05-07:00 Laís Bernardo Laghi laislaghi@gmail.com Ana Elisa Souto anaearq@gmail.com <p>O artigo aborda a complexidade na concepção de edifícios de saúde, que muitas vezes resulta em construções de alto consumo de recursos naturais. Destaca a abordagem da arquitetura bioclimática visando equilibrar os espaços construídos climaticamente para atender às necessidades do usuário ao longo do ano, promovendo eficiência energética e qualidade ambiental. O texto enfatiza a importância da aplicação desses princípios desde a fase inicial do projeto na arquitetura hospitalar, com ênfase na compreensão do comportamento climático local, geometria solar e condições de conforto. A criação de ambientes hospitalares iluminados e ventilados naturalmente é destacada por sua contribuição para o bem-estar físico e psicológico dos usuários. A Faculdade de Odontologia da UFRGS é apresentada como um exemplo notável, incorporando com sucesso princípios bioclimáticos em seu design e representando um ícone emblemático da arquitetura moderna em Porto Alegre, com estratégias que favorecem o conforto e a eficiência energética.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4900 A Percepção dos Moradores Locais Acerca das Mudanças Climáticas no Município de Ipanguaçu-RN 2024-04-16T10:05:17-07:00 Diêgo Ezaú Pereira de Araújo diegoezau@uern.br Márcia Regina Farias da Silva marciaregina@uern.br <p>Este estudo busca compreender a percepção local das mudanças climáticas em Ipanguaçu-RN, considerando o papel fundamental das comunidades na adaptação e mitigação. Com foco na cidade, investigamos o impacto das mudanças climáticas, políticas públicas municipais e a percepção da população. A pesquisa adota uma abordagem mista, combinando métodos quantitativos e qualitativos. Os resultados destacam a necessidade de ações efetivas, pois a maioria dos participantes reconhece a influência humana nos impactos ambientais. A falta de um Plano Diretor específico para mudanças climáticas e lacunas nas políticas municipais sugerem oportunidades de melhoria. A população identifica problemas como elevadas temperaturas, queimadas e escassez de chuva, indicando desafios significativos. Entrevistas com o Secretário de Meio Ambiente e a Cooperativa de Reciclagem revelam insights importantes. A coleta de lixo é reconhecida como medida prioritária, mas a ausência de iniciativas específicas para mudanças climáticas indica áreas para desenvolvimento. Este estudo contribui para a compreensão local das mudanças climáticas, enfatizando a importância da educação, conscientização e ações governamentais coordenadas para enfrentar os desafios climáticos em Ipanguaçu. <strong>&nbsp;</strong></p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4901 A relação entre Políticas de Zoneamento Urbano e vulnerabilidade racial em áreas suscetíveis a desastres ambientais 2024-04-16T10:09:18-07:00 André Serotini andre.serotini@uemg.br Júlia Fernandes Rodrigues juliarodriguesf2@gmail.com <p>O artigo busca analisar a relação entre as Políticas de Zoneamento Urbano e a vulnerabilidade racial em áreas propensas a desastres ambientais. O objetivo é demonstrar como as decisões de zoneamento podem ampliar as disparidades socioambientais. Utilizando uma abordagem teórica crítica, esta pesquisa analisa as políticas de zoneamento urbano, baseando-se em métodos qualitativos para compreender as implicações dessas políticas na exposição racial a riscos ambientais. Dessa forma, contribui teoricamente ao destacar a importância de considerar fatores raciais nas análises de políticas urbanas e desastres. Metodologicamente, oferece insights para futuras pesquisas sobre o impacto racial em contextos urbanos. Nesse sentido, o trabalho preenche uma lacuna teórica ao explorar a interseção entre políticas urbanas, vulnerabilidade racial e desastres ambientais. Portanto, ao identificar implicações sociais, destaca-se a importância de políticas inclusivas para mitigar disparidades raciais. No aspecto ambiental sugere-se que uma abordagem equitativa no zoneamento pode contribuir para comunidades mais resilientes e sustentáveis.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4902 Análise da atenuação acústica em ruídos de impacto e resistência à compressão de argamassas para contrapiso com substituição parcial de agregado natural por PET-PCR 2024-04-16T10:17:37-07:00 Raul de Souza Brandão raul.brandao@ifes.edu.br José Augusto Pedro Lima japlima@uenf.br Jonas Alexandre jonas@uenf.br <p>Este estudo tem como objetivo analisar os efeitos da substituição parcial do agregado natural por Polietileno Tereftalato Pós Consumo Reciclado (PET-PCR) em argamassas para contrapiso, destacando tanto o desempenho acústico e a resistência à compressão. A pesquisa adota uma abordagem metodológica que abrange desde a caracterização dos materiais até a avaliação de desempenho em termos de resistência e atenuação acústica. A originalidade do trabalho reside na análise abrangente das propriedades físicas e mecânicas das argamassas, focando na eficácia da substituição do agregado natural por PET-PCR. Os resultados indicam que, à medida que a proporção de PET-PCR na mistura aumenta, a densidade de massa aparente diminui, impactando diretamente na resistência à compressão. Além disso, destaca-se a melhoria na absorção sonora em argamassas com maior substituição de areia por PET-PCR, evidenciando implicações positivas no desempenho acústico desses materiais. As contribuições teóricas e metodológicas incluem uma compreensão mais profunda das propriedades das argamassas, enquanto as implicações sociais e ambientais residem na promoção de práticas sustentáveis na construção civil, destacando o potencial uso de materiais reciclados.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4903 Análise da eficiência energética de um CIEP baseado no consumo de energia elétrica 2024-04-16T10:28:42-07:00 Mayra Custódia dos Santos Silva Justino mayra.justino@gsuite.iff.edu.br Joadelio Chagas Soares joadelio.soares@iff.edu.br <p>O pleno uso de uma edificação tem demandado cada vez mais o uso de energia. Adicionada a essa questão, as principais fontes de energia utilizadas para o abastecimento são provenientes de fontes não renováveis, o que traz grandes prejuízos ao meio ambiente. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o consumo de energia de um edifício educacional de arquitetura padronizada localizado na Cidade de Campos dos Goytacazes/RJ. Para este estudo, foi escolhido o CIEP Arnaldo Rosa Viana. O método utilizado foi o levantamento bibliográfico que estabeleceu a relação entre os temas: arquitetura, sustentabilidade e eficiência energética, em seguida, foram realizado um levantamento arquitetônico, características físicas, número de alunos e analisadas as contas de energia elétrica, durante o período de 12 meses. O estudo apresentou o consumo médio de energia de um edifício educacional, quais os pontos de maior demanda e diante disso, estabelecer maneiras de reduzir esse consumo para que possa ser replicado em outras unidades de ensino no modelo CIEP. O estudo tem contribuição no campo ambiental, pois, alcançar níveis menores de consumo de energia nos ambientes, proporciona a redução do uso de recursos naturais necessários. O ganho social acontece, pois propostas de estratégias de redução do consumo de energia em unidades educacionais proporcionam um consumo consciente por parte dos alunos e toda comunidade que habita o edifício e, consequentemente, replicá-lo em outros ambientes.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4904 Análise de riscos ambientais no Rio Monjolinho, São Carlos - SP 2024-04-16T13:20:15-07:00 Gabith Sayda Quispe Apaza gabith.quispe@estudante.ufscar.br Katia Sakihama Ventura katiasv@ufscar.br Denise Balestrero Menezes denisebm@ufscar.br <p>A urbanização, o incremento da densidade populacional, a impermeabilização do solo e a ocupação de áreas ambientalmente sensíveis ocasionam impactos negativos em áreas frágeis como os cursos de água, várzeas inundáveis e áreas de proteção dos mananciais. O objetivo foi avaliar os riscos ambientais em setores urbanizados do Rio Monjolinho no Município de São Carlos - SP. A metodologia baseou-se na identificação de riscos por visita e levantamento de campo, além da análise documental. Esses riscos identificados foram classificados em diferentes níveis por meio da aplicação da ferramenta da matriz de priorização de risco; em seguida, foram utilizadas ferramentas de gestão da qualidade e 5W1H para propor ações destinadas a reduzir os riscos por meio de uma ou mais ações preventivas. Os principais eventos perigosos identificados nesta análise, que representam um risco muito alto e exigem ações imediatas, incluem: alterações e/ou retificações no formato do curso d'água (como estrangulamentos, canalizações, galerias e pontes); pontos específicos com processos erosivos; e obras de drenagem (como bocas de lobo, redes coletoras, canais e reservatórios), frequentemente em desconformidade com o comportamento do fluxo natural do rio. As intervenções antropogênicas no rio Monjolinho estão provocando mudanças no fluxo da água, como aumento da velocidade e obstrução, resultando em vários impactos na bacia hidrográfica. Torna-se essencial buscar alternativas de mitigação para os efeitos da canalização e implementar intervenções adequadas para o leito retificado.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4905 Análise e caracterização geotécnica de uma comunidade de interesse social no Recife – Brasil: estudo de caso 2024-04-16T13:28:30-07:00 Allan Jayson Nunes de Melo allan_jayson@hotmail.com Aline Chagas Cavalcante alinechagasc@gmail.com Willames de Alburqueque Soares was@poli.br <p>Esse trabalho tem como objetivo apresentar a caracterização geotécnica da comunidade de interesse social Dancing Days, localizada na cidade do Recife para fins de obtenção de informações técnicas relevantes para subsidiar futuros projetos de urbanização e saneamento integrado. Foram realizados estudos de subleito, sondagem a trado e sondagem tipo SPT (Standard PenetrationTest), necessários para execução de projetos de pavimentação, drenagem, coleta de esgoto, distribuição de água e construção de infraestruras como equipamentos urbanos, habitacionais e obras de artes especiais (OAE). Os solos encontrados foram submetidos a ensaios laboratoriais em conformidade com as Normas Brasileiras (NBR) e Métodos de Ensaios do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER-ME). Os resultados apresentam a predominância de argilas e posteriormente areia nos perfis estudados, o que é reforçado por autores que estudaram perfis geotécnicos em diversas localidades no Recife. Nas análises do subleito foi encontrado um material adequado à implementação de melhorias viárias como pavimentação, já o nível do freático alto irá proporcionar desafios nas áreas de drenagem e saneamento básico. Os Perfis através o ensaio SPT, mostram que entre 2,90 e 6,90 metros iniciam camadas de argila mole e muito mole. As caracteristicas são necessárias caso existam projeções futuras de obras de infraestrutura como habitacionais, pontilhões, elevatórias de esgoto e entre outras. &nbsp;</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4906 Análise Temporal de Criminalidade e Relação com Doenças Cardiovasculares no Município de São Paulo, 2010-2020. 2024-04-16T13:36:18-07:00 Eliazer Rodella Eliazer.rodella@gmail.com Wilson Levy Braga Da Silva Neto wilsonlevy@uni9.pro.br Antônio Pires Barbosa antoniopb@uni9.pro.br <p>O município de São Paulo por sua grandeza atrai criminosos que fazem suas vítimas. Entre o ano de 2010 a 2020 ocorreram vários crimes, quais destacamos roubo, furto e furto de coisa comum que chegam a mais de 4,3 milhões de vítimas. Por outro lado, os problemas cardiovasculares também são de enorme relevância. Um estudo da Sociedade Brasileira de Cardiologista, traz que no Brasil em média, 1.100 pessoas perdem a vida por problemas cardíaco, ou seja, a cada 90 (noventa) segundos. O objetivo é verificar a distribuição temporal de roubo, furto e furto de coisa comum e indicadores relativos a óbitos decorrentes de doenças cardiovasculares e analisar as relações entre eles no município de São Paulo, no período de 2010 a 2020, o método é um estudo ecológico, descritivo e exploratório com componente analítico, cujas fontes são secundárias da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e do Sistema de Internação Hospitalar e Sistema de Informações sobre Mortalidade. Os resultados após o tratamento dos dados considerando a correlação alcançada pelo Teste Não Paramétrico de Spearman, que existe uma correlação moderada, mais próxima a uma correlação forte, de 0,63, vez que, se o p-valor for inferior a 0,05%, temos insumos suficientes para aceitar a Hipótese Alternativa (<strong>H<sub>1</sub></strong>), ou seja, que a criminalidade na cidade de São Paulo pode ser um dos fatores determinantes relacionados com incidência de problemas cardiovasculares.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4907 Aprendendo com o ambiente construído: análise de decisões projetuais baseadas em conforto térmico através da simulação computacional 2024-04-16T17:32:28-07:00 Carolina Ventura Ribeiro Araujo carolina.ventura@gsuite.iff.edu.br Luciano Falcão da Silva lfalcao@iff.edu.br <p>O setor residencial tem grande influência no consumo de energia do país, sendo esse consumo diretamente ligado ao desempenho térmico das edificações, e consequentemente, seu conforto. O aumento do consumo traz a importância de pensar em estratégias projetuais que busquem minimizar os impactos ambientais, ainda em fase de estudo preliminar do projeto, e produzir espaços com um bom desempenho energético e confortáveis termicamente. O presente trabalho, através da simulação computacional, analisou materiais e métodos construtivos que colaboram diretamente com a produção desses espaços, destacando que as ferramentas computacionais se mostram como grandes facilitadores na hora de tomar decisões assertivas de projeto. Com simulações simples, foi possível observar grandes variações de temperatura operativa dentro do cômodo de estudo de caso escolhido, reforçando que decisões projetuais afetam diretamente o conforto térmico das construções. Através de pequenas alterações, já foi possível observar grande influência nas técnicas utilizadas para construir, mostrando que pensar em espaços que tenham um bom desempenho térmico, para além de produzir espaços confortáveis para seus usuários, produz espaços que colaboram com a diminuição do consumo de energia.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4908 Arquitetura bioclimática e eficiência energética: Estudo de caso da Escola Secundária Lycee Schorge 2024-04-16T17:36:23-07:00 Fernanda Lütkemeyer fernanda.lutkemeyer@sou.unijui.edu.br Luiza Matraczek Kerber luiza.kerber@sou.unijui.edu.br Roberta Cristina Schroeder Etges roberta.etges@sou.unijui.edu.br Matheus Cargnelutti de Souza arquitetomcargnelutti@gmail.com <p>O presente artigo aborda a Escola Secundária Lycee Schorge, obra arquitetônica de Francis Keré, e tem o objetivo de compreender as soluções projetuais bioclimáticas e de eficiência energética aplicadas a ela. Como metodologia, fez-se o uso da pesquisa bibliográfica em obras de autores relevantes.&nbsp; A obra situa-se no país africano Burkina Faso, o qual possui clima e vegetação diferentes do Brasil, tornando o assunto relevante aos acadêmicos que estão buscando novos conhecimentos sobre arquitetura. Partindo de referências bibliográficas, bem como, de entrevistas dadas pelo arquiteto, foi possível desenvolver uma análise crítica e interpretar as alternativas bioclimáticas e de eficiência energética adotadas por Keré, para uma arquitetura e seu microclima.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4909 Avaliação da resiliência por indicadores de sustentabilidade em municípios da Bacia Hidrográfica Baixo Pardo/Grande 2024-04-16T17:43:06-07:00 Maria Eugênia Gonçalez Alvares geninha.alvares@gmail.com Katia Sakihama Ventura katiasv@ufscar.br <p>O aumento populacional desencadeia desafios no meio urbano para os serviços de saneamento básico, saúde, educação e mobilidade urbana. Neste contexto, o uso de indicadores para gestão de serviços urbanos se destaca como instrumento para análise da qualidade de vida, o que motivou a proposição de 128 indicadores pela NBR ISO 37120:2021. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a resiliência por indicadores da sustentabilidade da Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos (UGHRI 12) Baixo Pardo/Grande. O método consistiu na seleção de indicadores com informações disponíveis em base digital, padronização de indicadores (escala 0 e 1) para avaliação da sustentabilidade local e regional e, por fim, a análise do potencial de resiliência urbana a partir dos indicadores do desenvolvimento sustentável. Foram selecionados 13 indicadores previamente e, para identificação da sustentabilidade, calculou-se a média aritmética dos valores padronizados. Até o momento, os principais resultados apontam que; a maioria dos municípios (75,0%) está com nota geral entre 0,50 e 0,65 e um (8,3%) está acima de 0,70 e, dois (16,7%) estão abaixo de 0,50 e, portanto, são os que podem ter maior desafio para o enfrentamento à resiliência associada à sustentabilidade, o que nega a hipótese central. Até o momento, o ODS com o maior número de informações disponíveis em base de dados digital foi o ODS 6. A principal contribuição foi apontar o cenário local e regional para se atingir a sustentabilidade, de modo ressaltar os pontos frágeis na referida Bacia Hidrográfica.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4910 Avaliação do estado de conservação de viadutos em concreto armado: Estudo de caso da ferrovia Recife/Gravatá-PE 2024-04-16T17:48:09-07:00 Adegilson José Bento adegilsonjose19@gmail.com Eliana Cristina Barreto Monteiro eliana@poli.br <p>A deterioração de monumentos da engenharia, como pontes e viadutos, é um problema global. A solução reside na manutenção e conservação dessas estruturas, mediante o entendimento real de suas condições e inspeções periódicas. O objetivo do trabalho foi avaliar o estado geral de conservação dos viadutos, Obras de Arte Especiais (OAE’s) situadas no trecho tombado da estrada ferroviária, Linha Tronco Centro de Pernambuco – LTCPE. Para conduzir sistematicamente o estudo, adotou-se o método de levantamento prescrito pela NBR 9452: Inspeção de pontes, viadutos e passarelas de concreto – Procedimento (Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, 2023), dividindo-o em inspeção cadastral (preliminar) e detalhada, incluindo o "mapeamento gráfico e quantitativo das anomalias de todos os elementos aparentes e/ou acessíveis da OAE" (ABNT, 2023, p. 5). Os resultados revelaram problemas como acúmulo de água, sedimentos, manchas e eflorescências, além de infiltração de água no interior do concreto, atribuídos à drenagem deficiente ou ausente pela concepção incorreta do sistema e à falta de manutenção. Identificou-se ainda deterioração do concreto, corrosão de armaduras, com manchas de corrosão, fissuras e exposição de armaduras, causados pela carbonatação originada por erros de projeto (recobrimento insuficiente) e/ou por erros de execução (cofragem, betonagem e descofragem). Esses problemas podem ser corrigidos inicialmente com manutenções corretivas, reparo das áreas afetadas e melhoramento do sistema de drenagem, preenchimento ou selagem de fissuras, colocação de sistemas de drenagem eficientes, e outros trabalhos de reparo. Um estudo da estabilidade dessas estruturas é crucial para garantir soluções duradouras.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4911 Edifício Linck: Avaliação Bioclimática de um ícone Moderno no Patrimônio de Porto Alegre (RS) 2024-04-16T17:53:43-07:00 Quétilan Rodrigues Domingues ketilanrdomingues@gmail.com Ana Elisa Moraes Souto anaearq@gmail.com <p>A arquitetura bioclimática busca conceber edificações adaptadas ao clima e às características físicas específicas de cada localidade. Entre as estratégias amplamente utilizadas nessa abordagem, destacam-se elementos de proteção solar, como brises, grelhas e cobogós, entre outros. Essas intervenções consideram, adicionamente, os aspectos de ventilação e iluminação natural de cada contexto visando otimizar o conforto térmico e luminoso das construções de maneira sustentável. Nesse sentido, a arquitetura moderna é o campo em que esses elementos foram amplamente aplicados, tornando o patrimônio moderno um recorte potencial para estudos que buscam compreender a aplicação de estratégias bioclimáticas em edificações. Este artigo tem como objetivo realizar análises bioclimáticas sobre o Edifício Linck, uma construção multifamiliar projetada pelos arquitetos Emil Bered, Salomão Kruchin e Roberto Félix Veronese em 1952, na cidade de Porto Alegre. A investigação busca compreender e destacar as estratégias bioclimáticas implementadas no projeto arquitetônico, visando contribuir para a compreensão do papel desempenhado pela sustentabilidade na arquitetura moderna e no patrimônio arquitetônico de Porto Alegre. O edifício faz parte de um acervo de construções representativas da arquitetura moderna, marcando o início do período de maior produção do movimento moderno na capital gaúcha. A pesquisa utiliza o método de observação das fachadas por meio de visitação <em>in loco</em>, o redesenho e a consulta à NBR 15.220 que traz recomendações sobre parâmetros construtivos em pról do conforto térmico para edificações. Apesar de a edificação ser datada da década de 1950, período em que não existiam normativas sobre conforto térmico em edificações, a pesquisa destaca o uso eficiente das estratégias adotadas no prédio. Além disso, evidencia o domínio dos arquitetos envolvidos no projeto, tanto na escolha dos materiais em relação às suas propriedades quanto nos aspectos físicos presentes no local de implantação da obra.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4912 Efeitos da rugosidade superficial na variabilidade da ventilação natural em cânions urbanos em clima tropical 2024-04-16T18:00:13-07:00 Luana Karla de Vasconcelos Brandão Brandão luana.brandao@arapiraca.ufal.br Ricardo Victor Rodrigues Barbosa rvictor@fau.ufal.br <p>O presente artigo analisou os efeitos da rugosidade superficial na variabilidade da ventilação natural no interior de cânions urbanos a partir da variação de dois parâmetros morfológicos: a relação H/W, baseada no espaço entre edifícios, e a orientação das vias (N=0°/ N=45°). Como objeto de estudo, tem-se a cidade de Arapiraca, de clima tropical de savana, localizada no semiárido alagoano. A metodologia adotada foi baseada em análise preditiva, por meio de simulação computacional, com uso do <em>software</em> ENVI-met v.4 Beta. Foram elaborados 18 cenários urbanos hipotéticos que variaram quanto à aplicação de recuo mínimo inicial e progressivo ao número de pavimentos, com incidência da ventilação predominante perpendicular (N = 0°) e oblíqua (N = 45°) às edificações, para o período quente e seco. O desempenho climático dos cânions foi avaliado, quantitativa e qualitativamente, por meio de dados de velocidade e direção dos ventos às 15h, a uma altura de 1,5 m do solo. Os resultados mostraram que os cenários com baixa rugosidade superficial, com aplicação do recuo progressivo, edificações de diferentes alturas e incidência da ventilação predominante oblíqua às edificações apresentaram condições mais favoráveis ao aproveitamento da ventilação natural para o conforto térmico ao ar livre no nível do pedestre. Frente os resultados encontrados, ressalta-se a necessidade de diretrizes de planejamento urbano que sejam alinhadas às estratégias bioclimáticas locais e aos preceitos de sustentabilidade e resiliência urbanas.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4913 Eficiência Energética e Sustentabilidade: Investigação das Estratégias Bioclimáticas na Residência de Robert Schuster 2024-04-16T18:05:23-07:00 Ana Carolina Pollo carolanapollo@gmail.com Ana Elisa Souto anaearq@gmail.com Minéia Johan Scherer mineia.scherer@ufsm.br <p>O termo “arquitetura bioclimática” surgiu no século XX por meio de estudos e análises desenvolvidos pelos irmãos Victor e Aladar Olgyay, pioneiros na discussão. Eles desempenharam um papel significativo no desenvolvimento de conceitos e princípios relacionados à integração de elementos climáticos na arquitetura, visando a eficiência energética e a criação de ambientes mais sustentáveis e confortáveis, utilizando recursos naturais como ventilação e iluminação natural, entre outros. O objetivo principal deste artigo concentra-se na identificação e análise das estratégias bioclimáticas presentes na Residência Robert Schuster (1978), localizada na cidade de Manaus, no estado do Amazonas. A metodologia aplicada no estudo baseou-se em uma revisão bibliográfica, aliada à análise das estratégias bioclimáticas de ventilação natural e sombreamento recomendadas pela plataforma “Projetando Edificações Energeticamente Eficiente - Projeteee (2023) para a cidade de Manaus. Este projeto, de autoria do arquiteto brasileiro moderno Mario Severiano Porto, foi escolhido por representar exemplarmente a arquitetura bioclimática no contexto brasileiro. Os resultados revelam um edifício em harmonia com o ambiente circundante, que valoriza os materiais e técnicas de construção característicos da região. Sobretudo, atende de maneira eficaz às demandas locais por meio de soluções simples e integradas à natureza.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4914 Ensaios Não Destrutivos em Viadutos em Concreto Armado: Um Estudo de Caso na Ferrovia Recife/Gravatá-PE 2024-04-16T18:22:39-07:00 Adegilson José Bento adegilsonjose19@gmail.com Eliana Cristina Barreto Monteiro eliana@poli.br <p>Os ensaios não destrutivos no concreto representam uma abordagem eficaz para avaliar suas propriedades sem comprometer a integridade estrutural, oferecendo uma visão precisa e abrangente sobre sua qualidade e condição. Este estudo de caso focou na aplicação de ensaios não destrutivos, incluindo a avaliação da dureza superficial pelo esclerômetro de reflexão conforme a NBR 7584 (ABNT, 2012), a determinação da profundidade de carbonatação segundo o RILEM CPC-18 (1988) e a medição da profundidade de cloretos conforme a UNI 7928 (1978), para analisar as características dos concretos nos viadutos ferroviários em Gravatá-PE, integrantes do trecho tombado da estrada ferroviária, Linha Tronco Centro de Pernambuco – LTCPE. Embora não tenham sido identificados cloretos livres, os viadutos 3, 5 e 6 apresentaram carbonatação acentuada, possivelmente relacionada às características geográficas do local. Os ensaios tecnológicos não destrutivos mostraram-se fundamentais para avaliar a qualidade do concreto, possibilitando decisões informadas sobre manutenção e reparo. A utilização das normas NBR 7584, RILEM CPC-18 e UNI 7928 como referências para os ensaios tecnológicos evidenciou sua eficácia. Destaca-se a importância da manutenção periódica para preservar monumentos da engenharia, sendo uma solução abrangente para mitigar a deterioração de estruturas.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4915 Etiquetagem de eficiência energética de prédios públicos: estudo de caso da reitoria da UFSCar - São Carlos - SP 2024-04-16T18:27:54-07:00 Eduardo Machry Pozzobon edupozzobon@hotmail.com Douglas Barreto dbarreto@ufscar.br <p>O setor de edificações é o 3º maior consumidor de energia, utilizando mais de 30% de toda a energia consumida no Brasil. Para incentivar a aplicação de medidas de eficiência energética em edificações, foram criadas certificações, como a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), que avaliam o impacto destas medidas em uma edificação. A obtenção da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia nível A é obrigatória para edifícios públicos federais novos. Este trabalho busca estudar um prédio público existente para buscar sua classificação, seguindo os métodos propostos pelos Requisitos Técnicos da Qualidade do Nível de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos (RTQ-C) e pela nova Instrução Normativa Inmetro para a Classificação de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas (INI-C). Para isso, foi selecionado o edifício que abriga a Reitoria e Administração Central da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Os dados foram levantados in loco, ou obtidos de projetos e estudos anteriores. Foram utilizados o método prescritivo do RTQ-C e o método simplificado da INI-C. Na análise pelo RTQ-C, a edificação alcançou classificação B de eficiência. Já na análise da INI-C, obteve-se nível A de eficiência. São apresentadas possíveis medidas para aumento da eficiência energética da edificação. Este trabalho conclui, baseado na revisão bibliográfica e aplicação realizadas, que a substituição do RTQ-C pela INI-C foi adequada.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4916 Gestão de Resíduos em Hospitais Públicos no Rio de Janeiro: Desafios e Oportunidades para a Sustentabilidade Ambiental 2024-04-16T18:35:12-07:00 Micheli Santos de Souza micheliss@yahoo.com.br Gilson Brito Alves Lima glima@id.uff.br <p>Este estudo aborda a gestão de resíduos sólidos em hospitais públicos na cidade do Rio de Janeiro, destacando desafios como infraestrutura inadequada, burocracia e a complexidade inerente a essa tarefa crucial. O objetivo é analisar esses desafios e destacar práticas positivas dos gerentes de resíduos, oferecendo uma visão abrangente dessa temática. A metodologia envolveu o uso do método de grupo focal, com especialistas em gestão de resíduos, garantindo a validade interna e externa por meio de seleção criteriosa e diversidade de participantes. A coleta de dados incluiu questionários e discussões online, conduzidas em duas etapas distintas. Os resultados indicam que a quantificação precisa, infraestrutura heterogênea e conscientização limitada dos profissionais de saúde são desafios significativos. No entanto, os gerentes mostram comprometimento com normas regulatórias, buscando melhorias no Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), enfatizando educação contínua e diálogo proativo com órgãos reguladores. As contribuições teóricas e metodológicas incluem uma compreensão mais profunda da natureza interdisciplinar da gestão ambiental em hospitais, destacando oportunidades para inovação e treinamento. Socialmente, enfatiza-se a importância da comunicação interna e conscientização para práticas sustentáveis. Em síntese, o estudo oferece insights valiosos sobre os desafios e práticas positivas na gestão de resíduos hospitalares, apontando para a necessidade de estratégias inovadoras e investimento em treinamento contínuo para promover um futuro mais sustentável e eficiente em ambientes hospitalares públicos.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4917 Impactos socioambientais em assentamentos urbanos informais 2024-04-17T16:43:40-07:00 Luís Fábio Gonçalves de Mesquita luis.mesquita@aluno.unb.br Alexandre Nascimento Almeida alexalmeida@unb.br <p><strong>Objetivo</strong> - Analisar criticamente o processo de licenciamento ambiental de assentamentos urbanos informais, buscando o aprimoramento do instrumento em um contexto de mudanças climáticas. <strong>Metodologia</strong> – Trata-se de uma abordagem qualitativa em que foi empregado o método da pesquisa documental em processos de licenciamento ambiental de parcelamentos de solo urbano informais do Distrito Federal. <strong>Originalidade/relevância</strong> – Há uma escassez de estudos que investiguem o instrumento ambiental do licenciamento em parcelamento de solo urbano informal. Considerando que o licenciamento ambiental é exigido para todas as atividades que possam causar danos socioambientais e tem o objetivo de mitigar ou compensar esses danos, pesquisas que avaliem empiricamente a aplicação desse instrumento devem ser incentivadas. <strong>Resultados</strong> – De modo geral o licenciamento ambiental nos assentamentos em ARIS e ARINE não tem sido eficiente, as medidas mitigadoras não são cumpridas, o monitoramento é insatisfatório, há falta de indicadores para mensurar a qualidade ambiental urbana e há ausência de análise de alternativas tecnológicas que considerem as projeções climáticas e soluções baseadas na natureza. <strong>Contribuições metodológicas</strong> - A investigação em processos de licenciamento ambiental de assentamento urbano informal para populações de baixa (ARIS) e alta renda (ARINE) contribuiu para complementar a literatura global focada em estudar assentamentos urbanos de baixa renda. Sugere-se pesquisas comparativas em outros contextos socioeconômicos. <strong>Contribuições sociais e ambientais</strong> – Os assentamentos de baixa renda em ARIS estão mais vulneráveis aos riscos socioambientais e às mudanças climáticas do que os assentamentos em ARINE, exigindo maior atenção dos gestores para reduzir essa vulnerabilidade.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4918 Incentivo aos deslocamentos sustentáveis: uma análise da caminhabilidade em Catalão (GO) 2024-04-17T17:00:22-07:00 Milena Pereira Duarte milenaduarte@ufu.br Yan de Pádua Castro Metsavaht yanmetsavaht@gmail.com <p>Como forma de ampliar a qualidade da mobilidade urbana e contribuir na redução dos impactos ligados aos efeitos das mudanças climáticas, a caminhabilidade é o meio de locomoção mais fundamental e energicamente eficiente a ser promovido, especialmente nas cidades médias, onde as populações têm crescido aceleradamente e o planejamento do sistema de transporte urbano muitas vezes é debilitado. Dessa forma, o objetivo do artigo é identificar as condições de infraestrutura que se encontram as calçadas da região central na cidade de Catalão (GO), compreendendo se há incentivos para que a caminhabilidade seja estimulada. Para isso, é utilizado o Guia “8 Princípios da Calçada: Construindo cidades mais ativas”, desenvolvido pela <em>World Resources Institute</em>, que qualifica categorias essenciais quanto às infraestruturas das áreas de passeio. A partir disso, é possível compreender se as cidades médias têm buscado incentivar uma mobilidade mais sustentável, valorizando a experiência dos pedestres. Nesse sentido, a pesquisa evidencia que, mesmo em regiões centrais, a maioria dos percursos não apresenta um dimensionamento adequado e não preza pela acessibilidade universal. A proposta metodológica aplicada se mostra eficaz, embora não contemple todas as ambiências e elementos envolvidos na perspectiva dos indivíduos durante a caminhada. Com isso, evidencia-se os principais princípios a serem aprimorados pela gestão municipal para que a vivência do pedestre seja priorizada, o que é capaz de tornar as cidades mais resilientes e adaptadas a um ambiente climático em constante transformação.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4919 Influência do Parque Areião (Goiânia/GO) na variação espaço-temporal da temperatura e umidade relativa do ar ao longo do inverno e primavera de 2022 2024-04-17T17:04:16-07:00 Yan Silva Vargas Yansilvavargas@hotmail.com Diego Tarley Ferreira Nascimento diego_nascimento@ufg.br <p>O estudo tem como objetivo geral analisar a variação da temperatura e da umidade relativa do ar no interior e nas imediações do Parque Areião (Goiânia-GO), ao longo do inverno e primavera de 2022. Para isso, foram conduzidas as seguintes etapas de investigação: 1) revisão bibliográfica; 2) coleta, aquisição e organização dos dados de temperatura do ar e umidade relativa do ar em três pontos do Parque Areião; 3) compilação dos dados de temperatura e umidade relativa do ar registrados pela Estação Meteorológica Convencional de Goiânia, administrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e situada na porção central da cidade, mais urbanizada, para fins de comparação; e 4) elaboração de documentação cartográfica para a análise das características ambientais e de ocupação da área em estudo. A análise apontou uma variação de temperatura de até 5,1 °C e de umidade de até 16% entre os pontos, com menores valores no interior do Parque Areião e maiores valores na estação do INMET localizada na região central de Goiânia, o que reforça a relevância das áreas verdes no perímetro urbano, tendo em vista o papel das mesmas na amenização da temperatura e na elevação da umidade do ar, proporcionando melhor qualidade de vida a população.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4920 Infraestrutura verde: estudo de caso do complexo residencial italiano Bosco Verticale 2024-04-17T17:08:08-07:00 Gustavo Dalla Rosa gustavo.dalla@sou.unijui.edu.br Welinson Panke Oleiniczak welinson.oleiniczak@sou.unijui.edu.br Matheus Cargnelutti de Souza arquitetomcargnelutti@gmail.com <p>Este estudo visa analisar a implementação de infraestruturas verdes, utilizando o complexo residencial Bosco Verticale, na Itália, como caso de estudo. O objetivo é investigar o impacto das fachadas verdes nos interiores dos edifícios e no ambiente urbano. A metodologia adotada compreendeu uma abordagem teórica, integrando análise documental, e revisão bibliográfica. A relevância deste estudo está na identificação dos desafios associados à implantação de fachadas verdes em edifícios urbanos, fornecendo <em>insights</em> valiosos para projetos futuros de arquitetura sustentável e infraestrutura verde. Os resultados destacam a influência positiva das fachadas verdes na redução do calor, melhoria da qualidade do ar e estética na urbana. Contribuições teóricas e metodológicas incluem a compreensão aprofundada dos desafios técnicos e administrativos na aplicação de soluções baseadas na natureza. As implicações sociais e ambientais revelam o potencial dessas iniciativas para promover comunidades urbanas mais saudáveis, conectadas com a natureza e com menor impacto ambiental. Este estudo preenche uma lacuna no entendimento de desafios práticos e teóricos na implementação de infraestruturas verdes, forneceu informações valiosas sobre arquitetura sustentável e a tomada de decisões em planejamento urbano, contribuindo para a criação de cidades mais sustentáveis ​​e resilientes.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4921 Mudanças climáticas e o papel das Várzeas Urbanas Metropolitanas de São Paulo 2024-04-17T17:12:07-07:00 Anita Rodrigues Freire anitafreire@alumni.usp.br Regina Maria Prosperi Meyer reginameyer@uol.com.br <p>Este artigo tem por objetivo discutir a importância das várzeas urbanas metropolitanas de São Paulo na drenagem urbana, diante do dos impactos ocasionados pelas mudanças climáticas. O trabalho apresenta alguns conceitos relativos às várzeas urbanas, fundamentais à compreensão de seu papel, e traz uma revisão da literatura sobre o processo histórico de ocupação e implantação de infraestruturas urbanas nestas áreas. Este artigo visa contribuir na análise da questão das águas urbanas, que se torna cada vez mais, um elemento a ser incorporado nos processos de ocupação e transformação urbana.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4922 Permacultura e geotecnologias para o planejamento socioambiental urbano: parque do povo de Presidente Prudente/SP 2024-04-17T17:17:07-07:00 Nemer Ricardo Amaral Ferreira nemer.ricardo@unesp.br Fernando Sérgio Okimoto fs.okimoto@unesp.br Leticia Aparecida de Paiva la.paiva@unesp.br <p>Muito se fala a respeito das “cidades inteligentes” que transmitem a ideia de tornar mais célere e eficiente a detecção e os apontamentos de eventuais problemas e suas possíveis soluções, estreitando a relação entre o cidadão e o tomador de decisões. A importância de um Plano de Drenagem para as cidades, de modo a controlar e diminuir os impactos naturais sobre os espaços urbanos e promover uma melhor gestão das águas pluviais é fundamental. Tornar as cidades mais resilientes quanto aos seus sistemas de drenagem tem a ver com soluções que levem as cidades a funcionarem como “esponjas”, ou seja, que elas se tornem capazes de absorver o fluxo de água superficial. Este artigo propõe um planejamento permacultural em um trecho do Parque do Povo, localizado na cidade de Presidente Prudente - SP, com a produção e o uso de cartografias temáticas socioambientais, pensando-se na busca de cidades mais resilientes. No local há recorrentes sinistros ambientais com alagamentos, provocando perdas sociais, ambientais e econômicas para a cidade. Após entender o contexto, levantar demandas e sinistros, e produzir cartografias socioambientais, elaborou-se um planejamento permacultural com tecnologias ambientais de infraestruturas verdes e azuis como modelo de proposta para a região. Utilizou-se da metodologia da permacultura que ocorre em 4 etapas: setorização, demandas, zoneamento e ambiências/usos. A hipótese aqui levantada: geotecnologias e cartografias temáticas (sociais, humanas e sensíveis), alinha-se com a metodologia clássica da permacultura e se aprofunda na direção de melhorar o entendimento dos contextos, das demandas e dos resultados das propostas.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4923 Plano Diretor de Bauru/SP: estratégias bioclimáticas voltadas a sustentabilidade 2024-04-17T17:22:38-07:00 Bruna Miranda Pinto bruna.pinto@unesp.br Maria Solange Gurgel de Castro Fontes solange.fontes@unesp.br João Roberto Gomes de Faria joao.rg.faria@unesp.br Renata Cardoso Magagnin renata.magagnin@unesp.br <p>Na perspectiva do arquiteto e urbanista atuando como agente ativo nas decisões que impactam a cidade, observa-se que o ato de projetar contemporâneo demanda um olhar cuidadoso para o desempenho térmico e a eficiência energética das edificações. Este estudo apresenta a aplicação da metodologia do processo de projeto performativo em sala de aula, integrando o ensino e a pesquisa no estudo de um edifício corporativo em altura com uso comercial no clima subtropical úmido. O caso analisado ocorre em Porto Alegre, RS, na zona Bioclimática 3 (ZB3), que apresenta uma dicotomia nas estratégias de conforto do usuário, considerando tanto o inverno quanto o verão como estações rigorosas. O método adotado classifica-se como qualitativo e quantitativo, priorizando a resolução do desconforto do usuário no inverno - estação que representa 53% do desconforto anual. Isso é alcançado por meio de soluções sustentáveis, bioclimáticas e energeticamente eficientes em todas as fases do projeto. Destaca-se a relevância deste estudo para identificar as necessidades da metodologia, assim como as informações necessárias para os estudos compositivos de envoltória, elementos determinantes para o desempenho do edifício. Os resultados evidenciam que o processo de projeto performativo pode ser incorporado desde a etapa de viabilidade construtiva até o detalhamento projetual. O conjunto de estratégias e soluções definidas no processo culmina em um projeto satisfatório em termos bioclimáticos, atendendo às exigências da disciplina e cumprindo o papel social e ambiental inerente a esta tipologia arquitetônica.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4924 Processo de projeto performativo: estudo de edifício corporativo em altura desenvolvido em sala de aula 2024-04-17T17:39:39-07:00 Caroline Silveira da Silva carolinesilveira0110@gmail.com Ana Elisa Moraes Souto anaearq@gmail.br <p>Na perspectiva do arquiteto e urbanista atuando como agente ativo nas decisões que impactam a cidade, observa-se que o ato de projetar contemporâneo demanda um olhar cuidadoso para o desempenho térmico e a eficiência energética das edificações. Este estudo apresenta a aplicação da metodologia do processo de projeto performativo em sala de aula, integrando o ensino e a pesquisa no estudo de um edifício corporativo em altura com uso comercial no clima subtropical úmido. O caso analisado ocorre em Porto Alegre, RS, na zona Bioclimática 3 (ZB3), que apresenta uma dicotomia nas estratégias de conforto do usuário, considerando tanto o inverno quanto o verão como estações rigorosas. O método adotado classifica-se como qualitativo e quantitativo, priorizando a resolução do desconforto do usuário no inverno - estação que representa 53% do desconforto anual. Isso é alcançado por meio de soluções sustentáveis, bioclimáticas e energeticamente eficientes em todas as fases do projeto. Destaca-se a relevância deste estudo para identificar as necessidades da metodologia, assim como as informações necessárias para os estudos compositivos de envoltória, elementos determinantes para o desempenho do edifício. Os resultados evidenciam que o processo de projeto performativo pode ser incorporado desde a etapa de viabilidade construtiva até o detalhamento projetual. O conjunto de estratégias e soluções definidas no processo culmina em um projeto satisfatório em termos bioclimáticos, atendendo às exigências da disciplina e cumprindo o papel social e ambiental inerente a esta tipologia arquitetônica.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4925 Projeto De Habitação de Interesse Social (HI) Para Moradores em Áreas de Risco no Jardim Gardênia Campo, Suzano 2024-04-17T17:46:31-07:00 Gabriel Miranda Santanna gabrielms14@gmail.com Ana Paula Branco do Nascimento ana.branco@saojudas.br Nestor Kenji Yoshikawa nestor.yoshikawa@saojudas.br <p>No último século, observou-se a acentuação de grupos de fragilidade socioeconômica se alocando em áreas impróprias, formando assentamentos precários. O Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) tem sua relevância reconhecida pelo enfrentamento ao déficit habitacional, mas críticas são feitas a seu modelo de produção de moradias padronizadas. Entre 2020 e 2022, foi feito acompanhamento do projeto de Intervenção Jardim Gardênia Campo, no município de Suzano, para a construção de moradias para famílias assentadas em áreas de risco de deslizamento, e observou-se um projeto arquitetônico de aproximadamente 14m², com área reduzida para contenção de custos. Esta pesquisa de caráter investigativo e exploratório possui o objetivo de desenvolver um projeto arquitetônico alternativo voltado à intervenção no Jardim Gardênia Campo, cuja metodologia se baseou em três etapas: investigar o projeto desenvolvido por meio de conversas informais e acesso a peças gráficas, analisar o projeto arquitetônico segundo a metodologia da Fundação João Pinheiro para identificação de inadequações, e elaborar uma nova planta arquitetônica baseada em requisitos técnicos e diretrizes projetivas, com auxílio de ferramentas de <em>Build Information Modeling</em> (BIM). Como resultado, identificou-se que o projeto original apresentava potencial inadequação domiciliar em virtude da ausência de cômodos mínimos, e obteve-se um conjunto de quatro projetos arquitetônicos alternativos de expansão planejada, com média de 77,28m² construídos no pavimento térreo. Como conclusão, aponta-se o expressivo aumento da área mínima construída após a incorporação de requisitos normativos e estratégias de elaboração de projeto, com necessidade de uma intervenção pública mais efetiva no que tange a questão habitacional.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4926 Resiliência Hídrica Urbana: Estratégias e Adaptação às Mudanças Climáticas 2024-04-17T17:56:52-07:00 Thais Helena Prado Corrêa thaisthp@gmail.com Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira bernardo@ufscar.br <p>O termo Resiliência está presente tanto no meio acadêmico quanto na gestão, todavia, a Resiliência Hídrica Urbana (RHU) ainda é um termo pouco estudado, abordado, sistematizado e aplicado nas pesquisas relacionadas à gestão dos recursos hídricos. O trabalho foi motivado pela necessidade de obter dados interpretativos para a RHU, considerando seu potencial e importância referente à construção da Resiliência frente às mudanças climáticas. O objetivo é propor diretrizes e estratégias para incorporar RHU em municípios com base no uso de indicadores. Para tanto, buscou-se inicialmente pela presença direta ou indireta da RHU em Planos Municipais de cidades brasileiras. Na etapa seguinte, os Sistemas Hídricos Urbanos foram analisados a partir das Componentes e Variáveis relacionadas à RHU e sugeriu-se Indicadores associados às Variáveis sistematizadas, os quais foram utilizados no método proposto para a incorporação da RHU. A sistematização feita resultou em quinze Componentes e trinta e nove Variáveis para as quais foram propostos cinquenta e três Indicadores que permitem o monitoramento da RHU.&nbsp; A metodologia proposta possibilitará às cidades avaliarem o presente e construírem o futuro tornando-se cidades hidricamente seguras.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4927 Resiliência Urbana e Desastres Naturais: perspectivas para o planejamento territorial no município de Petrópolis, no RJ 2024-04-17T18:11:21-07:00 Giovanna Proença Machado giovannaproenca@Id.uff.br Eloisa Carvalho de Araujo eloisacarvalhoaraujo@id.uff.br <p>Este artigo aborda a necessidade de atribuir urgência de políticas de prevenção em centros urbanos, ao enfatizar o caso de Petrópolis, que é historicamente alvo de impactos socioambientais advindos de eventos relacionados a desastres ocasionados por chuvas extremas. Ao destacar a relação entre mudanças climáticas e desastres naturais, ressalta-se a importância de políticas públicas e conscientização pública para consolidar e intensificar a resiliência urbana e populacional dentro da temática. A metodologia adotada trata o presente texto como um ensaio reflexivo, com investigação de caráter descritiva e exploratória, buscando, ao analisar o tema, contextualizar o município de Petrópolis, enfatizando o papel do Plano Koeler desde sua fundação, e apontando lacunas no desenvolvimento territorial, ao longo do crescimento urbano da cidade, até os dias atuais. Por uma abordagem propositiva, melhorias no Plano Municipal de Redução de Risco são recomendadas, veiculando a articulação de temas associados ao campo da mitigação, habitação, projetos integrados, desenvolvimento institucional, contingência, controle urbano, legislação, capacitação entre outros. A conclusão destaca a necessidade de reavaliação e inovação constante, integrando tecnologias, participação comunitária e educação com o objetivo de criar estratégias de resposta imediata associadas a uma cultura de prevenção e resiliência frente aos desafios ambientais e sociais urbanos.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4928 Revisão sistemática da temática dos jardins verticais em fachadas de edificações urbanas e perspectivas futuras 2024-04-17T18:23:39-07:00 Elisa Bomtempo Matos elisabmatos9@gmail.com Bruno Massara Rocha bmassara@gmail.com Cristina Engel de Alvarez engelalvarez@hotmail.com <p>Jardins verticais podem ser utilizados como estratégia para aumentar a cobertura vegetal em ambientes urbanos, contribuindo para a melhoria da qualidade do ar e a redução de ilhas de calor. Na escala do edifício, jardins verticais são utilizados como estratégias para melhoria do desempenho térmico e economia de energia. De maneira geral, aumentam a qualidade de vida das pessoas e atuam como facilitadores do aumento da biodiversidade em área urbana. No entanto, a manutenção desses sistemas pode ser desafiadora, pois o caráter de verticalidade desses sistemas dificulta o acesso às plantas. Este artigo tem como objetivo revisar sistematicamente a literatura existente sobre os métodos e técnicas de manutenção em jardins verticais, considerando sua relação com a arquitetura, a fim de buscar por tipos de tecnologias utilizadas. Também objetiva identificar lacunas e perspectivas para futuras pesquisas. Como resultados, percebeu-se uma carência de trabalhos que abordam a implementação desses sistemas em situações reais de manutenção, especialmente no que diz respeito a instalações de tecnologias relacionadas à iluminação.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4929 Soluções Baseadas na Natureza e Mudanças Climáticas: uma Revisão Sistemática de Literatura. 2024-04-17T18:28:22-07:00 Rodrigo Kuestra rodrigokuestra@gmail.com Cristiano Capellani Quaresma quaresmacc@uni9.pro.br <p>As cidades são as principais fontes de gases do efeito estufa (GEE) e sofrem episódios intensos de inundações urbanas, que afetam, sobretudo, a população mais vulnerável. Contudo, políticas públicas urbanas municipais têm dado pouca atenção à questão, prejudicando a resiliência e ampliando as injustiças sociais. As Soluções Baseadas na Natureza (SbN) podem auxiliar no combate aos problemas urbanos relacionados às mudanças climáticas, especialmente por entender como as atividades humanas, incluindo a urbanização, afetam a distribuição dos organismos e ecossistemas no espaço geográfico, além de oferecer alternativas verdes para o tratamento da questão. Assim, buscou-se, por meio de Revisão Sistemática de Literatura e análise bibliométrica, identificar exemplos de aplicações das SbN para adaptação às inundações urbanas e redução dos GEE. Os resultados demonstraram que o <em>Sponge City Program</em> (China) e o florestamento urbano foram os temas mais estudados acerca da utilização das SbN no combate aos GEE e às inundações urbanas.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4930 Soluções Baseadas na Natureza e Resiliência Urbana: parâmetros de projeto para redes verde-azul de drenagem pluvial 2024-04-17T18:32:07-07:00 Iago Longue Martins iagolongue.arqurb@gmail.com Elisa Bomtempo Matos elisabmatos9@gmail.com <p>As mudanças climáticas têm resultado em eventos extremos, como chuvas torrenciais, alagamentos diversos e deslizamentos, demonstrando a vulnerabilidade urbana diante das dinâmicas hidrológicas. O relatório mais recente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas enfatiza a necessidade urgente de implementar medidas para conter as mudanças climáticas, com especial atenção à redução das emissões de gases do efeito estufa até o ano de 2025. Apesar dos esforços, as emissões continuam altas e, como consequência, a crise climática se intensifica, demandando investimentos em infraestruturas resilientes. Nesse contexto, surgem estratégias de Soluções Baseadas na Natureza (SBN) como alternativas potenciais para essa problemática. As infraestruturas verde-azul, reconhecidas como uma tipologia de SBN, buscam promover serviços ecossistêmicos para restaurar processos naturais e melhorar serviços urbanos atrelados às dinâmicas e fluxos hidrológicos. Sob esse aspecto, este artigo apresenta um conjunto de parâmetros de projeto baseados em variáveis ambientais para melhorar a performance hidrológica das SBN organizadas em rede. A metodologia inclui uma revisão exploratória de literatura, destacando estratégias de drenagem verde-azul, a organização em rede dessas estratégias e o mapeamento de variáveis ambientais que impactam sua eficácia. O objetivo é elucidar aos planejadores a complexa rede de relações necessárias de serem consideradas no ato de se projetar infraestruturas urbanas baseadas em condicionantes e processos naturais. Os resultados demonstram que é necessário atenção ao processo de projeto e planejamento de infraestruturas verdes em grandes escalas, considerando as características do tecido urbano e do território biogeofísico, bem como da própria vegetação aplicada na composição dessas infraestruturas.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4931 Soluções Baseadas na Natureza: Alternativa para a solução das inundações no bairro Água Branca, Piracicaba-SP 2024-04-17T18:36:57-07:00 Murilo Garcia dos Santos Pereira muriloogarciaa@gmail.com Eliana Tadeu Terci etterci@usp.br <p>O aumento da temperatura média da atmosfera terrestre tem causado uma maior ocorrência de eventos climáticos classificados como extremos. Um desses eventos são as fortes chuvas, cuja distribuição ao longo do tempo tem se tornado cada vez mais irregular e imprevisível, causando problemas como as inundações urbanas. Este trabalho tem como principais objetivos compreender de que forma esse problema afeta a cidade de Piracicaba-SP e também apresentar alternativas ao combate às inundações urbanas que possam ser implementadas em um local da cidade escolhido através de um levantamento de dados do Plano Diretor de Desenvolvimento de Piracicaba - Lei complementar n°405/2019. Foi escolhido um bairro que sofre com esse problema e que apresenta características favoráveis para a implantação de um projeto pioneiro de Soluções Baseadas na Natureza (SbN) que pode servir de base para uma transformação na maneira com que Piracicaba enfrenta as inundações, a fim de dar um passo importante rumo a uma cidade mais adaptada e inclusiva, melhor preparada para lidar com os desafios do século XXI.</p> 2024-04-15T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap/article/view/4872 Expediente dos Anais do I Congresso Brasileiro "Mudanças Climáticas e a Resiliência Urbana" - Eixo 2 - Resiliência Urbana 2024-04-12T19:57:21-07:00 Jeane Aparecida Rombi de Godoy urbanista.jeane@gmail.com Sandra Medina Benini arquiteta.benini@gmail.com Gisele Carignani gicarignani@gmail.com Erica Lemos Gulinelli ericagulinelliarq@gmail.com <p>Apresentação da Coordenação do Evento e Organização dos ANAIS, Parcerias Institucionais e Comissão Científica</p> 2024-04-12T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2024