https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/issue/feed Revista Científica ANAP Brasil 2024-02-23T04:16:32-08:00 Sandra Medina Benini editoraanap@gmail.com Open Journal Systems <p class="font_8"><strong>ISSN 1984-3240</strong></p> <p class="font_8"><a href="https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/documentos/avaliacao/avaliacao-quadrienal-2017/reaMeListaFinalQualisV2.xlsx"><strong>ÁREA MÃE </strong>- </a><a href="https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/documentos/avaliacao/avaliacao-quadrienal-2017/reaMeListaFinalQualisV2.xlsx">Qualis Capes 2017-2020</a></p> <p class="font_8">- <strong>Engenharia I</strong></p> <p>Temos o prazer de informar que a <strong>Revista Científica "ANAP Brasil"</strong> obteve o <strong>Qualis B3</strong> -<a href="https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.xhtml"> Resultado divulgado 29/12/2022</a></p> <p>A <strong>Revista Científica "ANAP Brasil"</strong> está direcionada para a divulgação de trabalhos científicos sobre a temática, resultado de pesquisa de natureza empírica, experimental ou conceitual, resultantes de pesquisas.</p> <p>Para submissão, os autores deverão estar ligados no mínimo a uma graduação e deverão publicar com um docente da instituição de ensino.</p> https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4813 Potencialidades e desafios em comunidades de populaçoes tradicionais, ribeirinhas na Região Amazônica. 2024-02-13T03:50:43-08:00 Antonio José dos Santos antonio.santos@sou.unijui.edu.br Daniel Claudy da Silveira ajs_borges@hotmail.com Tarcisio Dorn de Oliveira ajs_borges@hotmail.com Nelson José Thesing nelson.thesing@unijui.edu.br <p>O artigo proporciona identificar o potencial ambiental presente no maior bioma brasileiro, um ambiente que desperta a atenção de vários pesquisadores e turistas do mundo inteiro. Um território que contempla grandes discursões no mundo em relação aos desastres ambientais e climáticos. A Amazonia é uma das peças-chave, para o equilíbrio do clima global, da proteção da biodiversidade, da qualidade de vida humana, mesmo de quem vive longe dela. Ela o lar de inúmeras comunidades indígenas e populações tradicionais e ribeirinhas, que desempenham um papel fundamental na preservação e sustentabilidade desse ecossistema. Desta forma, os dados apresentam uma potencialidade e uma riqueza da região amazônica. Portanto, a presença das populações tradicionais e ribeirinhos é muito marcante, em boa parte da Amazônia. Mas mesmo assim, avança o desmatamento. São várias as razoes, a exploração madeireira ilegal, urbanização, mineração e pesca predatória. Existem várias formas e maneiras de destruição e remoção das florestas. A Amazônia apresenta um rico potencial, do ponto de vista ambiental, natural e biológico. É neste contexto que o estudo propõe mostrar as potencialidades ambientais como forma de contribuir com as práticas no desenvolvimento sustentável na região do Baixo Amazonas, nas comunidades tradicionais e ribeirinhas.&nbsp; A pesquisa permite afirmar que as potencialidades ambientais, para a conquista das práticas do desenvolvimento sustentável, nas comunidades tradicionais e ribeirinhas no Baixo Amazônia, dos estados do Pará e do Amazonas, contam com uma riqueza cultural, social e econômica, o que oportuniza o cultivo na floresta e no Bioma Amazônico, o desenvolvimento sustentável na região.</p> 2024-02-13T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4814 Áreas úmidas do Cerrado e a distribuição espacial das Veredas no Estado de Mato Grosso a partir do Cadastros Ambiental Rural 2024-02-13T04:26:51-08:00 Eduardo Vieira dos Santos edugeo2000@yahoo.com.br Andressa Vasconcelos Mendonça andressavas18@gmail.com Fabiano Silva Costa fabiano.segmec@gmail.com <p>Veredas são importantes fisionomias do bioma Cerrado e um dos tipos de áreas úmidas presentes no bioma. Possuem elevada importância por sua biodiversidade e a relação direta com a água, entretanto, ainda são pouco estudadas. Nesse sentido, conhecer suas principais características e sua distribuição espacial gera grande contribuição na busca por sua preservação. Assim, realizamos a espacialização e a análise da ocorrência de veredas no estado de Mato Grosso, a partir do Cadastro Ambiental Rural (CAR). A escolha por inciar o estudo da distribuição espacial das veredas pelo estado de Mato Grosso ocorreu porque o estado possui seu território particionado entre Cerrado, Amazônia e Pantanal. Para a realização do estudo efetuamos revisão de literatura e, posteriormente, formamos banco de dados com os polígonos representativos de todas veredas declaradas no CAR para o estado de Mato Grosso. A partir do banco de dados foi possível a espacialização das áreas de veredas do estado e a análise de sua ocorrência. Com a espacialização das áreas de veredas do estado de Mato Grosso verificamos que este tipo de área úmida está presente em todo estado e nos três biomas que ocorrem no estado.</p> 2024-02-13T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4822 Análise da Infraestrutura das Calçadas e Integração da Biogeografia na Vegetação Urbana de Sinop-MT 2024-02-22T11:50:24-08:00 Gabriellin Buose gabriellin-buose@hotmail.com <p>Este artigo tem como objetivo explorar a aplicação da biogeografia na arborização urbana e no planejamento ambiental. A arborização urbana desempenha um papel fundamental na melhoria da qualidade de vida das áreas urbanas, proporcionando diversos benefícios sociais e ambientais. A biogeografia, por sua vez, oferece informações sobre a distribuição das espécies e ecossistemas, possibilitando a seleção adequada de espécies vegetais e garantindo a sustentabilidade do ambiente urbano. O foco deste artigo está em uma pesquisa realizada em Sinop-MT, com ênfase na análise biogeográfica do Setor Comercial I. O estudo incluiu uma avaliação do uso adequado da arborização nas vias urbanas desse setor, bem como os possíveis transtornos gerados para o município e os pedestres. A recolha de dados foi realizada por meio de uma pesquisa in loco, permitindo uma avaliação das condições das calçadas. Os resultados destacam a importância de considerar fatores biogeográficos no planejamento da arborização urbana, visando alcançar uma maior diversidade de espécies, além de revelar que, em determinados pontos, um terreno está impactando o calçamento público.</p> 2024-02-22T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4823 Biogeografia em abordagens ecológicas e geográficas: análise dos artigos do I Simpósio Brasileiro de Biogeografia (2020) 2024-02-22T12:02:17-08:00 Marianne Silva Oliveira moliveira.ibram@gmail.com.br Luiz Felipe Rodrigues Carvalho luizfelipe.geografia@gmail.com <p>A Biogeografia como campo científico interdisciplinar enfrenta desafios para delinear suas bases conceituais, teóricas e metodológicas sob perspectiva da ciência Geográfica. A utilização de dados relacionados a diferentes campos científicos resulta em abordagens distintas que são sintetizadas na literatura como abordagens ecológicas e geográficas, sendo o objetivo deste estudo identificar o tipo de abordagem desenvolvida nos artigos apresentados no I Simpósio Brasileiro de Biogeografia (2020). Os dados relativos aos aspectos bióticos, abióticos e antrópicos utilizados nos artigos foram identificados em suas diferentes combinações que resultam em abordagens distintas e para as quais foram identificados os métodos de análise e escalas espaciais. Verificou-se a predominância da abordagem geográfica contemplada em 80% dos artigos nas quais estão presentes os componentes abióticos e antrópicos associados aos bióticos. A combinação de métodos qualitativos e quantitativos ocorreu em 64% do total de artigos e houve predominância de estudos para escala local em 48%. O desafio para integração de dados relacionados às sociedades humanas e suas intervenções no ambiente é ponto comum evidenciado em estudos sob perspectiva da Geografia. Neste contexto, a integração de dados antrópicos com utilização de métodos quali-quantitativos por meio da abordagem geográfica que foi predominante nos artigos do I Simpósio Brasileiro de Biogeografia constitui relevante contribuição aos debates em escala nacional que visam promover a ampliação das bases conceituais, teóricas e metodológicas deste campo científico interdisciplinar.</p> 2024-02-22T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4824 Integração de geotecnologias na análise da paisagem para contribuir no monitoramento de espécies faunísticas em unidades de conservação 2024-02-22T12:18:19-08:00 Rodolfo da Cunha Sarcinelli rodolfo.sarcinelli@ufv.br Lara Modesto Mendes lmodestomendes@gmail.com Ana Júlia Silva Moreira ana.júlia@ufv.br André Luiz Lopes de Faria andre@ufv.br Fabiano Rodrigues de Melo frmelo@ufv.br <p>A conservação da biodiversidade tornou-se um desafio crucial em um mundo em constante transformação. Nesse contexto, a paisagem, composta por elementos físicos e bióticos, desempenha um papel vital na vida das espécies e em sua sobrevivência. Este estudo visa fornecer informações detalhadas sobre a paisagem da Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda do Capivary I, com o objetivo de auxiliar nos monitoramentos de fauna que empregam Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP). A pesquisa utilizou métodos de geoprocessamento e produção cartográfica combinadas a modelos climáticos, resultando em um material cartográfica que proporcionou uma representação visual das características da paisagem local como: relevo, uso e ocupação e condições do vento. Foram realizadas 15 missões de monitoramento por meio do uso de ARP, as quais cobriram uma área total de 387,63 hectares, foram obtidos 24 registros de animais: 4 mamíferos, além de 20 registros de aves. O conjunto de dados inclui um total de 3 horas e 18 minutos de vídeos com câmera termal e RGB capturados durante os sobrevoos. A integração de geotecnologias na análise da paisagem desempenhou um papel crucial na compreensão das condições de vento, além da importância das geotecnologias na análise do relevo, uso e ocupação da terra, possibilitando a identificação de áreas interesse e críticas para operações, considerando obstáculos naturais e artificiais. Essa abordagem contribuiu para a segurança e o planejamento das operações de voo.</p> 2024-02-22T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4825 Identificação da tendência das emissões de gases do efeito estufa no estado do Amazonas: uma abordagem com suavização exponencial 2024-02-23T04:10:23-08:00 Francisco Soares Lima Filho fanciscosoares@gmail.com <p>Este artigo foca na importância da compreensão das emissões de dióxido de carbono equivalente (CO2e) no estado do Amazonas, destacando as potenciais implicações para políticas públicas. Utilizando análise de séries temporais de dados climáticos, o estudo investiga padrões de variabilidade e busca prever mudanças de curto e longo prazo nas emissões de CO2e. O objetivo é identificar os modelos de suavização exponencial mais adequados para prever a tendência das emissões de CO2e resultantes de mudanças no uso da terra na Amazônia durante o período de 1990 a 2021. Além disso, o artigo avalia a precisão dos modelos selecionados. Os resultados enfatizam a necessidade crítica de desenvolver modelos eficazes de previsão e estimativa em diversas áreas, destacando sua relevância na informação dos processos de formulação de políticas.</p> 2024-02-23T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024 https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/anap_brasil/article/view/4826 Crianças e adolescentes em movimento: os efeitos das mudanças climáticas no contexto brasileiro 2024-02-23T04:16:32-08:00 Milena Pereira Duarte milenaduarte@ufu.br <p>Tendo em vista os crescentes impactos de eventos decorridos das mudanças climáticas no Brasil, faz-se essencial compreender como eles têm influenciado o movimento migratório da população. Sendo as crianças e adolescentes o público usualmente mais vulnerável desse fenômeno, o presente artigo tem como objetivo buscar identificar o contexto em que os deslocamentos infantojuvenis têm acontecido como consequências dos desastres naturais no país. Assim, é desenvolvida uma revisão bibliográfica da temática que visa mapear e quantificar a média de mudanças de menores de idade por eventos climáticos extremos, utilizando principalmente, para tal finalidade, os dados coletados do relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância, publicado em 2023. Nesse sentido, a pesquisa contribui para a construção de mais informações nacionais acerca do assunto que carece de dados detalhados e busca evidenciar os maiores motivadores das mudanças de crianças de seus lares no âmbito indicado. Por meio das análises, as inundações corresponderam ao maior número de meninos e meninas deslocados entre os anos de 2016 a 2021, seguidas das tempestades, secas e incêndios florestais, que atingiram diversos estados do país. A partir dos estudos aplicados, a compreensão dos procedimentos mais eficazes a serem desenvolvidos para dar assistência às famílias é ampliada, o que garante a proteção, segurança e bem-estar das crianças em face às decorrências dos efeitos das mudanças climáticas.</p> 2024-02-23T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2024