Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/cidades_verdes <p>O<strong> Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes</strong> está direcionado para a divulgação de trabalhos científicos, resultado de pesquisa de natureza empírica, experimental ou conceitual, resultantes de pesquisas. </p> <p>Foco da revista - "<strong>Arquitetura, Urbanismo e Sustentabilidade"</strong></p> <p><strong>Área de Arquitetura, Urbanismo e Design</strong></p> <p>Para submissão, os autores deverão estar ligados no mínimo a uma graduação e deverão publicar com um docente da instituição de ensino.</p> <p><strong> </strong></p> ANAP - Associação Amigos da Natureza da Alta Paulista pt-BR Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes 2317-8604 <div id="icpbravoaccess_loaded"> A declaração de direito autoral informada aqui aparecerá na página Sobre a revista e nos metadados de cada documento publicado.</div><div id="icpbravoaccess_loaded"> </div><div id="icpbravoaccess_loaded"> </div><div id="icpbravoaccess_loaded"> </div> Levantamento de espécies endêmicas do Cerrado e do Pantanal Mato-Grossense com potencial para uso na arborização urbana https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/cidades_verdes/article/view/3105 <p>A utilização de espécies nativas na arborização urbana contribui com a conservação da biodiversidade ao priorizar as espécies locais. Esse trabalho teve como objetivo realizar um levantamento das espécies arbóreas endêmicas do Pantanal e do Cerrado mato-grossense que apresentam viabilidade para compor a arborização das cidades. O levantamento foi realizado a partir de pesquisas bibliográficas em diversas fontes, como livros, artigos científicos, guias de arborização e sites de identificação de plantas. Uma ficha dendrológica com as principais características das espécies foi elaborada e, posteriormente avaliou o seu potencial para arborização de vias públicas. Foram levantadas seis espécies endêmicas do Pantanal distribuídas em quatro famílias botânicas, sendo: Tabebuia nodosa (Griseb.) Griseb., Cordia brasiliensis (I.M.Johnst.) Gottschling &amp; J.S.Mill., Bauhinia leptantha Malme, Dahlstedtia dehiscens M.J Silva &amp; A.M.G. Azevedo, Muellera variabilis (RR.Silva &amp; AMG.Azevedo) MJ.Silva &amp; AMG.Azevedo e Ficus carautana L.J.Neves &amp; Emygdio. Para o Cerrado foram identificadas 11 espécies endêmicas no Estado de Mato Grosso, distribuídas em sete famílias botânicas, sendo: Annona sanctae-crucis S.Moore, Rourea laurifolia G.Schellenb., Senegalia latifoliola (Kuntze) Seigler &amp; Ebinger, Guarea zepivae T.D.Penn., Eugenia glabrescens Mazine, Eugenia hatschbachii Mazine, Myrcia matogrossensis Faria &amp; Sobral, Ladenbergia chapadensis S.Moore, Palicourea tricephala (Müll. Arg.) C.M. Taylor, Rudgea obtusa Standl. e Talisia subalbens (Mart.) Radlk. Conclui-se que essas espécies apresentam viabilidade para compor a arborização das cidades, porém, necessita de mais informações técnicas e científicas da ecologia e silvicultura dessas espécies, visando a utilização na arborização urbana.</p> Fernanda M Franco Creunice Nascimento da Silva Copyright (c) 2022 2022-11-05 2022-11-05 10 28 10.17271/23178604102820233105 Planejamento Integrado das Aldeias Históricas de Portugal https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/cidades_verdes/article/view/3125 <p>Apesar da existência de diversos planos regionais, com o objetivo de combater a desertificação, em 2021 a região Centro de Portugal ainda registrou uma perda de cerca de 4% da população face ao censo de 2011. Tratando-se das Aldeias Históricas de Portugal, esse índice chegou à mais de 30% em algumas delas, isso representa um risco à preservação dos aspectos culturais e históricos dessas comunidades. Em busca de soluções para combater o declínio populacional através do planejamento regional integrado, este trabalho foca na aplicação de uma abordagem do ponto de vista da paisagem. Integrando diferentes temas como gestão do patrimônio material e imaterial, sustentabilidade econômica e ambiental, mobilidade e qualificação de espaços públicos e equipamentos urbanos, a partir de cinco níveis de intervenção distribuídos em diferentes escalas, desde o contexto internacional até os centros históricos. O objetivo principal do trabalho é apresentar a paisagem como elemento estruturador do planejamento das aldeias históricas enquanto conjunto de comunidades e não somente como destino turístico.</p> Milena Albrecht Silveira Carla Portal Vasconcellos Copyright (c) 2022 2022-11-20 2022-11-20 10 28 10.17271/23178604102820223125