Fachadas Vegetadas em áreas urbanas

Estudo de caso em Belo Horizonte

Autores

  • Juliana de Castro Rezende
  • Bruno Massara Rocha
  • Karla Cristina de Freitas Jorge Abrahão

DOI:

https://doi.org/10.17271/2317860492220212870

Resumo

As mudanças climáticas associadas ao intenso processo de urbanização e à crescente mudança do uso do solo vem desafiando as sociedades a buscar meios de minimizar as suas consequências e eventos, dentre eles: enchentes, ondas de calor, incêndios florestais, vendavais, aumento do nível dos mares, desertificação. Os jardins verticais adaptados as edificações podem ser uma estratégia para minimizar as ilhas de calor em ambientes urbanos, além de qualificar a paisagem. O objetivo deste estudo é identificar e apontar espécies vegetais adequadas à implementação de Jardins Verticais em ambientes urbanos. Por meio de uma metodologia projetual multifatorial, foram analisadas duas fachadas na área central de Belo Horizonte com diferentes orientações e dois tipos de sistemas de jardim vertical. Os resultados apresentaram que o sistema de cortina verde se mostrou mais sustentável e econômico, em relação ao sistema de jardim hidropônico, em termos de rega e quantidade de mudas, além de possibilitar o uso de espécies do bioma local. Os resultados do estudo contribuem para orientar a implementação e a difusão de jardins verticais em edificações. Sugere-se para trabalhos futuros, estudos experimentais que analisem o uso de espécies do bioma local e a relação com a manutenção, e com o consumo de água para irrigação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-03-17

Como Citar

Rezende , J. de C. ., Rocha , B. M. ., & Abrahão , K. C. de F. J. . (2021). Fachadas Vegetadas em áreas urbanas: Estudo de caso em Belo Horizonte . Periódico Técnico E Científico Cidades Verdes, 9(22). https://doi.org/10.17271/2317860492220212870

Edição

Seção

Artigos