ENSAIO DE ECOTOXICIDADE UTILIZANDO Pseudokirchneriella subcapitata, Ceriodaphnia dubia, Daphnia magna e Artemia salina PARA CARACTERIZAÇÃO DE LIXIVIADO PROVENIENTE DE ATERRO SANITÁRIO

Autores

  • Flávia Kawahigashi
  • Daniele Satie Koga
  • Emília Kiyomi Kuroda

DOI:

https://doi.org/10.17271/198008279112013676

Resumo

Resumo: A decomposição da matéria orgânica presente nos resíduos sólidos resulta na produção de um líquido altamente poluidor, denominado lixiviado ou percolado ou chorume. As técnicas utilizadas para o tratamento deste lixiviado muitas vezes não resultam na produção de um efluente de qualidade aceitável em relação à toxicidade, o que impõe a necessidade de seu controle, de forma que não cause efeitos tóxicos ao meio ambiente. No presente trabalho, foram realizados ensaios de ecotoxicidade com os seguintes organismos-teste: Pseudokirchneriella subcapitata, Ceriodaphnia dubia, Daphnia magna e Artemia salina. Os efluentes testados foram o lixiviado bruto, o tratado por processo biológico, o pós-tratado por processo físico-químico de coagulação-floculação-sedimentação - CFS utilizando o cloreto férrico como coagulante químico e o pós-tratado por adsorção em carvão ativado granular – CAG. Para todos os organismos, pode-se observar que o tratamento biológico reduziu a toxicidade do lixiviado bruto, provavelmente, devido à remoção de nitrogênio na forma de amônia. As respostas de sensibilidade dos organismos-teste utilizados foram diferenciadas em relação aos compostos presentes no lixiviado, principalmente aos produzidos após a coagulação química e adsorção em CAG.

Palavras-chave: Ecotoxicidade. Lixiviado. Aterro sanitário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-11-10

Como Citar

Kawahigashi, F., Satie Koga, D., & Kiyomi Kuroda, E. (2013). ENSAIO DE ECOTOXICIDADE UTILIZANDO Pseudokirchneriella subcapitata, Ceriodaphnia dubia, Daphnia magna e Artemia salina PARA CARACTERIZAÇÃO DE LIXIVIADO PROVENIENTE DE ATERRO SANITÁRIO. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental Da Alta Paulista, 9(11). https://doi.org/10.17271/198008279112013676

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)