Avaliação do estado trófico para o Rio Sapucaí-Guaçu

Autores

  • Maria Patrícia Sales Castro
  • Ticiana Fontoura Vidal
  • Raimundo Oliveira de Souza

DOI:

https://doi.org/10.17271/1980082712620161477

Resumo

O lançamento de matéria orgânica, substâncias tóxicas e nutrientes via efluentes domésticos e industrial, ou resultante do manejo inadequado do uso do solo, pode afetar a qualidade do ambiente para os organismos aquáticos ou mesmo a saúde humana, por meio da ingestão de águas contaminadas. Visando isso, o objetivo da presente pesquisa foi avaliar a variação temporal das características tróficas do rio Sapucaí-Guaçu, no estado de São Paulo, e classificar por meio da determinação do Índice do Estado Trófico proposto por Toledo Jr. (IETT) e Lamparelli (IETL) com os dados de qualidade de água entre os anos de 2012 a 2014. Os resultados apresentaram que os valores do Índice de Estado Trófico (IET), para os pontos avaliados no Rio Sapucaí-Guaçu, foram indicativos de estado de eutrofização, com tendência à hipereutrofização tanto para a metodologia utilizada por Toledo quanto à metodologia utilizada por Lamparelli. Foi possível observar também que as concentrações de fósforo encontradas nas amostragens foram superiores ao limite estabelecido na Resolução CONAMA n°357 de 2005, para os cursos de águas doces classe 2, provavelmente pelo fato do ponto do rio avaliado estar localizado em área urbana, e as maiores concentrações de fósforo nas águas estão associadas à carga de efluentes domésticos.

 

PALAVRAS-CHAVE: Eutrofização, Fósforo, Índice de Estado Trófico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

Castro, M. P. S., Vidal, T. F., & Souza, R. O. de. (2016). Avaliação do estado trófico para o Rio Sapucaí-Guaçu. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental Da Alta Paulista, 12(6). https://doi.org/10.17271/1980082712620161477

Edição

Seção

Artigo Completo