ESTUDO SOBRE O KANGINGIN REVELA RELAÇÕES HISTÓRICAS ENTRE HOMENS E NATUREZA

Authors

  • Marcelo Franco Leão

DOI:

https://doi.org/10.17271/19800827792011202

Abstract

Este artigo apresenta resultados do estudo realizado durante as aulas de Química sobre um licor genuinamente mato-grossense que envolveu os temas transversais Diversidade Cultural e Educação Ambiental. O estudo objetivou investigar a composição química da bebida Kangingin, evidenciar sua importância enquanto contribuição da cultura afro-brasileira e valorizar a relação histórica existente entre os homens e a rica flora existente em Mato Grosso. A metodologia adotada foi a da pesquisa de campo realizada em Vila Bela da Santíssima Trindade – MT. O grupo envolvido na pesquisa foi composto por alunos do Centro de Educação de Jovens e Adultos 15 de Outubro, de Barra do Bugres – MT. Justifica-se a aplicação do mesmo para corresponder às curiosidades da comunidade escolar em descobrir os benefícios trazidos à saúde por esse licor e o quanto o mesmo significa no contexto histórico do Estado, além de comprovar as propriedades afrodisíacas da bebida. A produção deste licor é artesanal, tem como ingredientes a cachaça, o mel e algumas plantas da flora brasileira e foi desenvolvida pelos descendentes de africanos trazidos para região na condição de escravos. Pela investigação dos ingredientes que foram revelados, notou-se que a reunião de tais substâncias apresenta inúmeras propriedades medicinais das quais se destacam as ações tônica, vasodilatadora e estimulante da circulação periférica, o que torna a bebida, além de afrodisíaca, um excelente energético. Os resultados trazidos pela pesquisa foram surpreendentes, pois essa é uma bebida de inúmeros valores não só nutritivos como também da cultura de um povo.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Marcelo Franco Leão

Published

10-11-2011

How to Cite

Leão, M. F. (2011). ESTUDO SOBRE O KANGINGIN REVELA RELAÇÕES HISTÓRICAS ENTRE HOMENS E NATUREZA. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental Da Alta Paulista, 7(9). https://doi.org/10.17271/19800827792011202