QUALIDADE, ENQUADRAMENTO E LIMITAÇÕES DE USO DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA LAGOA MAIOR 2011 e 2012 EM TRÊS LAGOAS - MS

Autores

  • Denivaldo Ferreira de Souza
  • André Luiz Pinto
  • Alyson Marcelo Savio Mendes

DOI:

https://doi.org/10.17271/19800827822012249

Resumo

O Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA normatizou através das resoluções 357 de 2005, o enquadramento das limitações de uso de corpos hídricos perante os padrões de qualidade. A água não deve somente ser considerada um bem natural indispensável à sobrevivência dos seres vivos, mas, pelo seu valor político, econômico e social. Perante a importância da água para a humanidade e que segundo Tundisi (1999) uma sociedade pode ser qualificada pelos cuidados que tem por suas águas, o presente trabalho analisou a qualidade da maior lagoa urbana da cidade de Três Lagoas, que constitui o seu principal atrativo turístico. Contudo, enfatizou-se história, geologia, clima, hidrografia, legislação, e etc, da região de Três Lagoas e da área de estudo, a Lagoa Maior. Para isso, os parâmetros mensurados foram de oxigênio dissolvido, potencial hidrogeniônico, turbidez, condutividade elétrica, temperaturas do ar e da água. No entanto, foram coletadas amostras em treze estações ao redor da Lagoa Maior, os quais localizam-se em pontos estratégicos, tais como: saídas de caixas de retenção de água pluvial, afloramento de água subterrânea e ladrões de controle de nível da água da lagoa. Os resultados enquadram a lagoa, em sua maioria, nas classes III e IV, que preconiza seu uso apenas para navegação e à harmonia paisagística

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-11-10

Como Citar

Souza, D. F. de, Pinto, A. L., & Mendes, A. M. S. (2012). QUALIDADE, ENQUADRAMENTO E LIMITAÇÕES DE USO DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DA LAGOA MAIOR 2011 e 2012 EM TRÊS LAGOAS - MS. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental Da Alta Paulista, 8(2). https://doi.org/10.17271/19800827822012249

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>