MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA NO CÓRREGO CHUMBEADINHA - OURINHOS/SP

Autores

  • Ernesto Vendramini Bergamaschi
  • Rodrigo Lilla Manzione
  • Natalia Felix Negreiros

DOI:

https://doi.org/10.17271/19800827822012258

Resumo

A água é um recurso vital para a existência de todos os organismos vivos, e a captação para uso doméstico, produção agrícola, mineração, produção industrial, geração de energia, atividades de lazer e práticas florestais podem levar à deterioração da sua qualidade, atingindo o ecossistema aquático e também a disponibilidade de água potável disponível para consumo humano. O presente trabalho teve como objetivo monitorar a qualidade da água do Córrego Chumbeadinha no município de Ourinhos-SP, que perpassa pela área urbana da cidade e é desprovido de mata ciliar em quase todo seu percurso, além de sofrer dois represamentos artificiais. O Córrego Chumbeadinha é um afluente de segunda ordem do Rio Paranapanema, percorrendo cerca 4 km de sua nascente até sua foz. Foram realizadas amostragens das seguintes variáveis: Sólidos em Suspensão, pH, concentração de oxigênio dissolvido, condutividade elétrica, temperatura da água, coliformes fecais, transparência da água, além do cálculo do índice de estado trófico, em quatro locais no curso do córrego, de setembro de 2009 a abril de 2010.  Dessa forma, o córrego Chumbeadinha nasce com uma qualidade boa, apesar de sofrer forte pressão da expansão urbana, porém os demais pontos foram classificados como eutróficos, sendo registrada a presença de coliformes fecais em todas as amostragens. A falta de vegetação nas margens do lago pode ser a grande causadora da eutrofização, pois os sedimentos não encontram dificuldades para chegar até o curso d'água, assim interferindo diretamente no IET do lago.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-11-10

Como Citar

Bergamaschi, E. V., Manzione, R. L., & Negreiros, N. F. (2012). MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA NO CÓRREGO CHUMBEADINHA - OURINHOS/SP. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental Da Alta Paulista, 8(2). https://doi.org/10.17271/19800827822012258