Considerações acerca das práticas sustentáveis e dos saberes dos camponeses guardiões de sementes no assentamento São Judas, Rio Brilhante – MS

Autores

  • Francieli Aparecida Zenatti
  • Rodrigo Simão Camacho

DOI:

https://doi.org/10.17271/1980082716620202665

Resumo

A pesquisa foi realizada no assentamento São Judas, no município de Rio Brilhante, MS, com a família Z, que tem como prática tradicional a conservação de sementes e saberes. O conhecimento popular é importante para realizar essas práticas, os guardiões de sementes guardam muitos saberes para preparar o solo e proteger a plantação.  Convém ressaltar que compreendemos por guardiões de sementes todas as práticas que a família utiliza para conservar as sementes. É uma estratégia de resistência diante dos transgênicos, agrotóxicos e a monocultura. Esses saberes tradicionais da família não servem ao mercado, eles são conservados para que a família tenha uma alimentação saudável, com sementes de qualidade. As sementes conservadas e observadas são de “milho maisena”, “milho pipoca” e “amendoim”. Para o desenvolvimento desse trabalho dialogamos com os guardiões de sementes crioulas do Assentamento São Judas, e usamos como referencias leituras sobre guardiões de sementes, saberes tradicionais e práticas sustentáveis em comunidades camponesas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francieli Aparecida Zenatti

   

Rodrigo Simão Camacho

 

Downloads

Publicado

2020-12-08

Como Citar

Zenatti, F. A., & Camacho, R. S. (2020). Considerações acerca das práticas sustentáveis e dos saberes dos camponeses guardiões de sementes no assentamento São Judas, Rio Brilhante – MS. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental Da Alta Paulista, 16(6). https://doi.org/10.17271/1980082716620202665

Edição

Seção

Artigo Completo