Análise dos impactos socioeconômicos e ambientais do Programa Minha Casa, Minha Vida em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Autores

  • Fabrícia de Carvalho Torquato Universidade Anhanguera-Uniderp
  • Ademir Kleber Kleber Morbeck de Oliveira Universidade Anhanguera-Uniderp
  • Rosemary Matias Universidade Anhanguera-Uniderp
  • Ana Paula Garcia Oliveira Universidade Anhanguera-Uniderp

DOI:

https://doi.org/10.17271/2318847286320202496

Palavras-chave:

Déficit habitacional. Programas habitacionais. Índice de Desenvolvimento Humano. Fundo de Arrendamento Residencial. PMCMV-FAR.

Resumo

O Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) é uma das maiores iniciativas brasileiras de atendimento à garantia constitucional à moradia e possui uma vertente exclusiva para o desenvolvimento social e envolvimento de famílias de baixa renda, a partir do PMCMV em parceria com o Fundo de Arrendamento Residencial (FAR). Este artigo objetivou a análise do PMCMV-FAR em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Foi adotado o método da análise documental, por dados de caracterização das áreas de atuação do PMCMV-FAR, faixa 0-3 salários mínimos. Os resultados indicaram que o programa apresenta alto impacto positivo, reduzindo o déficit habitacional; contudo segue o processo histórico de periferização, cuja análise sugere priorização da disponibilidade territorial e dilatação da ocupação urbana. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrícia de Carvalho Torquato, Universidade Anhanguera-Uniderp

Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional 

Ademir Kleber Kleber Morbeck de Oliveira, Universidade Anhanguera-Uniderp

Prof. Dr. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional 

Rosemary Matias, Universidade Anhanguera-Uniderp

Profa. Dra. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional 

Ana Paula Garcia Oliveira, Universidade Anhanguera-Uniderp

Profa. Dra. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional 

Referências

AMORE, Caio Santo; SHIMBO, Lúcia Zanin; RUFINO, Maria Beatriz Cruz. Minha casa… e a cidade? Avaliação do programa Minha Casa Minha Vida em seis estados brasileiros. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015. 428 p.

ANDREOLI, Ana Claudia. Eficiência do Programa Minha Casa, Minha Vida em gerar benefícios sociais: uma análise envoltória de dados das unidades federativas brasileiras no período de 2009 a 2012. Bauru: UNESP, 2016. 116 p.

ATLAS BRASIL. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2018.

BALBINO, Michelle Lucas Cardoso. Programa Minha Casa Minha Vida e a colisão entre direitos fundamentais. Revista Brasileira de Políticas Públicas, 3(1), 51-76, 2013. https://doi.org/10.5102/rbpp.v3i1.2199

BRAGA, Tánia Moreira. Sustentabilidade e condições de vida em áreas urbanas: medidas e determinantes em duas regiões metropolitanas brasileiras. EURE, 32(96), 47-71, 2006.

BRASIL. Lei n. 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. 2001.

BRASIL. Lei n. 11.977, de 7 de julho de 2009. Dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida – PMCMV e a regularização fundiária de assentamentos localizados em áreas urbanas; altera o Decreto-Lei no 3.365, de 21 de junho de 1941, as Leis nos 4.380, de 21 de agosto de 1964, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 10.257, de 10 de julho de 2001, e a Medida Provisória no 2.197-43, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. 2009.

BRASIL. Decreto n. 7.499, de 16 de junho de 2011. Regulamenta dispositivos da Lei no 11.977, de 7 de julho de 2009, que dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida, e dá outras providências. 2011a.

BRASIL. Lei n. 12.424, de 16 de junho de 2011. Altera a Lei no 11.977, de 7 de julho de 2009, que dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida - PMCMV e a regularização fundiária de assentamentos localizados em áreas urbanas, as Leis nos 10.188, de 12 de fevereiro de 2001, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 4.591, de 16 de dezembro de 1964, 8.212, de 24 de julho de 1991, e 10.406, de 10 de janeiro de 2002 - Código Civil; revoga Medida Provisória no 2.197-43, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. 2011b.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Habitação. Cartilha Programa Minha Casa Minha Vida. 2016. Disponível em: <http://www.sedhab.df.gov.br/mapas_sicad/conferencias/programa_minha_casa_minha_vida. pdf.>. Acesso em: 1 abr. 2018.

CAIXA. Caixa Econômica Federal. Minha Casa Minha Vida 2017: Entenda o que muda no programa. 2017. 2017. Disponível em: <http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Noticias/Noticia/ Default.aspx?newsID=4550>. Acesso em: 12 mai. 2018.

CALIXTO, Maria José Martinelli Silva. O espaço urbano em redefinição: Cortes e recortes para a análise dos entremeios da cidade. Dourados: UFGD, 2008. 238 p.

CYMBALISTA, Renato. Estudo de impacto de vizinhança. Dicas Polis, 192, 12-15, 2001.

CNT. NTU. Confederação Nacional do Transporte; Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos. Pesquisa mobilidade da população urbana 2017. Brasília: CNT:NTU, 2017. 96 p.

COSTA, Beatriz Souza; VENÂNCIO, Stephanie Rodrigues. A função social da cidade e o direito à moradia digna como pressupostos do desenvolvimento urbano sustentável. Revista Direito Ambiental e Sociedade, 6(2), 106-136, 2016.

FERREIRA, João Sette Whitaker. Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasil urbano. Parâmetros de qualidade para a implementação de projetos habitacionais e urbanos. São Paulo: FUPM, 2012. 200p.

FJP. Fundação João Pinheiro. Centro de Estatística e Informações. Déficit habitacional no Brasil 2015, 2018. 78 p.

FREITAS, Carlos Geraldo Luz et al. Habitação e meio ambiente: abordagem integrada em empreendimentos de interesse social. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, 2001. 227 p.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável: Brasil 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. 348 p.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. 2018. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/campo-grande/panorama>. Acesso em: 03 de mai. 2019.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. ONU-HABITAT. Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos. Estado das cidades do mundo 2010/2011: unindo o urbano dividido – resumo das principais constatações. Brasília: IPEA, 2011. 32 p.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Sustentabilidade. Objetivos de desenvolvimento sustentável nos desafios da nação. In: Desafios da Nação. Brasília: IPEA, p. 147-154, 2018.

JACOBI, Pedro Roberto; BESEN, Gina Rizpah. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos avançados, 25(71), 135-158, 2011.

LIMA NETO, Vicente Correia; KRAUSE, Cleandro; FURTADO, Bernardo Alves. O déficit habitacional intrametropolitano e a localização de empreendimentos do Programa Minha Casa Minha Vida: Mensurando possibilidades de atendimento. Texto para Discussão n. 2.044. Brasília: Ipea, 2015. 52 p.

MAGALHÃES, Inês. Resultados e Desafios do Programa Minha Casa, Minha Vida. Brasília: Secretária Nacional de Habitação, Ministério das Cidades, 2013. 14 p.

PLANURB. Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano. Perfil socioeconômico de Campo Grande: MS. Campo Grande: Planurb, 2017. 116 p.

IDHMB. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal Brasileiro. Brasília: PNUD, Ipea, FJP, 2013. 96 p.

SEHAC. AGEHAB. Secretaria de Estado de Habitação e Cidades e Agência de Habitação Popular do Estado de Mato Grosso do Sul. Indicadores Habitacionais de Mato Grosso do Sul – 2014. Campo Grande: SEHAC, AGEHAB, 2014. 20p.

Downloads

Publicado

04-12-2020

Como Citar

Torquato, F. de C., Oliveira, A. K. K. M. de, Matias, R., & Oliveira, A. P. G. (2020). Análise dos impactos socioeconômicos e ambientais do Programa Minha Casa, Minha Vida em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Revista Nacional De Gerenciamento De Cidades, 8(63). https://doi.org/10.17271/2318847286320202496

Edição

Seção

Artigos Completos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)